quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

10 técnicas infalíveis para manipular a população



O filósofo, linguista e ativista político norte-americano Avram Noam Chomsky desenvolveu uma lista de 10 estratégias utilizadas pela mídia como um todo para manipular a população em geral.

Distração

Uma das principais técnicas de controle social é a denominada estratégia da distração. Basicamente, esse método consiste em desviar o público de problemas sociais, políticos e econômicos. Somos bombardeados pela TV com informações insignificantes, tornando mais difícil o público ganhar interesse em assuntos essenciais, como científicos, sociais,  econômicos, psicológicos, e por aí vai. Manter as pessoas ocupadas com questões sem importância é uma  boa técnica de manipulação.

Problema-reação-solução

Outra técnica muito conhecida e discutida consiste em criar um problema de impacto emocionalmente forte sobre a população, esperar a reação das pessoas e por fim colocar em prática um plano que beneficie o sistema. Um exemplo disso é um ataque terrorista. Dependendo de sua intensidade, o povo abriria mão de muitas coisas em troca de segurança. Após o atentato de 11 de Setembro de 2001, por exemplo, o governo dos EUA aprovou uma lei denominada Ato Patriótico , no qual agências públicas ganharam o poder de invadir legalmente a privacidade dos cidadãos.

Gradação

É simples fazer a população aceitar uma medida inaceitável, basta ter tempo. Aplicar um plano gradativamente é uma excelente alternativa de controle. Assim que condições socioeconômicas radicais (neoliberalismo) foram implantadas durante os anos 80 e 90. Privatizações, precariedade, desemprego, baixos salários… Tantas mudanças que causariam uma revolução caso tivesse sido aplicadas de uma só vez.

A técnica do “deferido”

Outro método para fazer as pessoas aceitarem uma medida que não convém muito a elas é apresentá-la como sendo necessária e dolorosa, no qual será aplicada no futuro. É mais simples se aceitar um sacrifício futuro que um imediato, até porque as pessoas normalmente tendem a acreditar que amanhã tudo estará melhor, e que talvez o sacrifício já seja desnecessário.

Infantilidade

Grande parte das publicidades utilizam argumentos, personagens, entonação e até mesmo personagens infantis, como se fossemos todos pequenas crianças ou deficientes mentais. O tom de infantilidade aumenta proporcionalmente à intenção de se enganar o telespectador. A resposta ou reação dele tende a ter também um senso crítico equivalente ao de uma criança.

Mensagens subliminares

Se aproveitar da fragilidade emocional de grande parte das pessoas é outra técnica bastante utilizada para manipulação, a fim de causar um curto-circuito no senso crítico de cada um. Para isso, a mídia constantemente se utiliza da técnica das mensagens subliminares, sobretudo na televisão, a fim de manipular a mente das pessoas.

Mantendo o público na ignorância

Essa obviamente é a técnica mais utilizada como forma de manipulação e a mais eficiente, sobretudo em países com baixo nível de educação, como o Brasil. Não querem que saibamos os métodos que utilizam para nos manter na escravidão.
Essa técnica é utilizada em conjunto com a técnica da distração. Não é a toa que se investe tão pouco em educação para as classes baixas, afinal de contas, um povo ignorante é mais fácil de controlar. Na televisão, poucos são os conteúdos de qualidade apresentados e a situação está cada vez pior. Outro exemplo é a música, que teve uma decadência assustadora em termos de qualidade (conteúdo) desde o início do século XXI, principalmente aqui no Brasil. Isso sem mencionar alguns sistemas religiosos que são uma forma descarada de alienação
.

Estimular o público a permanecer na ignorância

Fazer com que as pessoas acreditam que ser estúpido, vulgar e inculto é moda. Exemplo disso é a música e estilo divulgados pela televisão.

Fazer com que as pessoas sintam-se culpadas

Essa técnica de manipulação consiste em fazer com que a pessoa acredite que somente ela é culpada pela sua própria infelicidade (falta de inteligência, pobreza, incapacidade…). Assim o indivíduo não irá se revoltar contra o sistema político-econômico, e irá se culpar por tudo, gerando um estado depressivo no qual o ser se sente inibido a agir. Sem ação não há revolução!

Eles sabem mais sobre nós do que nós mesmos

Com o constante avanço da tecnologia, ciência, biologia e psicologia, criou-se uma grande distância entre os conhecimentos do grande público e daquilo que realmente existe e eles sabem. E o sistema tem se aproveitado muito bem disso, e possui o poder de conhecer melhor cada pessoa que elas mesmo, ou seja, o sistema exerce um controle e poder maior sobre as pessoas do que as pessoas em si.
***********
“E meus amigos parecem ter medo
De quem fala o que sentiu
De quem pensa diferente
Nos querem todos iguais
Assim é bem mais fácil nos controlar
E mentir, mentir, mentir
E matar, matar, matar”
Trecho de Aloha, Legião Urbana
***********
Até quando iremos aceitar essa manipulação? Até quando o povo continuará alienado? Onde iremos parar desse jeito? Hoje em dia a sociedade está da forma que o governo quer, sem o poder de pensar. Grandes veículos de informação e formadores de opinião são a cultura, sobretudo a música, e infelizmente isso parece que acabou também. As pessoas se importam mais com novela e futebol do que com a situação do nosso país. É a triste realidade em que vivemos, e escapar dela hoje é muito difícil dada as coisas como estão.

Pornografia na Internet: Pecado Real ou Pornografia na Internet: Pecado real ou Virtual?




"Oi! Meu nome é Fabiana e seja bem vindo ao meu quarto. Quero te conhecer melhor. Clique aqui para entrar. Estou te esperando."

Eu sei o que você está pensando: "Ei, cara! Do que você está falando? Isso é um site cristão!" Pois é. E o site do nosso ministério também é. Mas, um tempo atrás, isso estava aparecendo na página inicial. Eu não sei exatamente o que aconteceu, erro no servidor, hacker, o próprio diabo, eu não sei. Mas, uma coisa eu sei, por dois dias, todos que entraram ali foram afrontados com o convite da Fabiana para entrar no quarto dela. Imagine a minha surpresa e preocupação. Isso me assustou e me fez encarar a realidade da pornografia na Internet. Isso é um problema real. Tomara que ninguém tenha sido tentado e entrado no quarto da Fabiana através do nosso site. Mas, de qualquer maneira, o perigo é real. 

Olhar ou não olhar, essa é a luta. Aonde eu cresci, havia uma frase bem conhecida, "Pode olhar, só não pode tocar". Para o raciocínio humano isso até parece uma coisa muito profunda e verdadeira, porém, nós não medimos as coisas pelo raciocínio humano. 

Jesus em Mateus 5:28 falou, "quem olhar para uma mulher e desejar possuí-la já cometeu adultério no seu coração". Jesus levou o pecado do adultério um passo à frente ao falar que só olhar e pensar de uma maneira impura é tanto pecado no seu coração quanto o ato em si. É uma coisa do coração. E essa é a coisa que importa para Jesus. 

Antes, essa luta era fora da casa, na rua, na escola, no trabalho, mas, graças à tecnologia moderna, na maior parte, o computador, é bem mais fácil para você pecar com os seus olhos e pensamentos e sem sair da tua casa. Bem aí, na privacidade da tua própria casa, você pode olhar para homens e mulheres nus. Então, me diga, você acha que está tudo bem porque você está simplesmente olhando e não tocando? Obviamente, você não pode tocar porque a imagem está na tela e não no real. Mas, quantas pessoas depois de olhar foram levadas a fantasiar a respeito daquela pessoa nua na tela e acabam se masturbando? Eu acho que é bem provável que a maioria. Esse é o perigo em olhar. Ver sem querer não é o pecado. Todo dia vemos coisas que não devíamos, mas, sem ser de propósito. E nesse ponto, precisamos virar a nossa cabeça e continuar. O pecado é quando nós, de propósito, olhamos de novo e aquela imagem fica gravada na nossa mente, só para nos dar fruto mau mais tarde na forma de fantasiar e se masturbar. Meu medo é que muitos estão amarrados e presos nesses pecados tão sutis, pecados que podem ser escondidos facilmente, mas muito vergonhosos de se admitir. E, praticamente, deixando a pessoa numa prisão feita por ela mesma, para viver uma vida sem fruto e cheia de vergonha e condenação. 

Pior ainda, o que acontecerá com aquele que por um tempo tem fantasiado tanto sobre uma certa situação, e o negócio real aparecer na sua frente? Depois de estar "treinando" por tanto tempo, você honestamente acha que vai ter força suficiente para enfrentá-lo ou fugir? Eu duvido. E é aí que mora o perigo. 

A legalidade está dada ao diabo no ponto de olhar. Os pequenos pecados sem conserto sempre levam a pecados maiores. Aquele que não treinou para as brigas na vizinhança não vai achar força suficiente para dizer "não" no meio da guerra. Uma brechinha na porta (e isso é o que o diabo está procurando) virará uma porta completamente aberta. 

Radical? Sem dúvida. Somente sendo radical nessa área vai te garantir a vitória. E deixe-me falar, Deus não está procurando crentes moles e fracos para usar, para ganhar esse mundo. Ele está procurando os crentes radicais, compromissados, santificados e santos. Ele está procurando uma geração de jovens e adolescentes que vão andar na santidade e numa unção que vai impactar esse mundo. Você é essa geração! Comece a andar em santidade e começar a utilizar a unção que Deus está colocando na sua vida. Uma unção para ganhar os perdidos, curar os enfermos e ressuscitar os mortos. Santidade é uma decisão. É a sua decisão. É uma decisão entre a vida espiritual e a morte, esquentando o banco de Deus ou jogando no campo, sendo usado ou deixado para trás. Deus quer e vai te usar da maneira que você se rende a ele. 

"Cuidado enquanto você está na Internet. O diabo é sujo e vai tentar te pegar de qualquer forma. Não dê brecha a ele." E a próxima vez que Fabiana te convidar para o quarto dela, dê um "delete" nela! 

Mateus 5:28 - Eu (Jesus), porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela. 

2 Timóteo 2:22 - Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor. 

Filipenses 2:15-16 - Para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis, no meio de uma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo; Retendo a palavra da vida, para que no dia de Cristo possa gloriar-me de não ter corrido nem trabalhado em vão.



Fonte: Pr. Jeff Fromholz em Geração Benjamim

Qual o Problema em Gostar um Pouco de Pornografia?


Afinal, o que é pornografia mesmo?
Alguém já disse que é mais fácil reconhecer a pornografia do que defini-la. Os dicionários nos dizem que pornografia é o caráter imoral ou obsceno de uma publicação. Material pornográfico é aquele que descreve ou retrata atos ou episódios obscenos ou imorais. Essas definições não ajudam muito pois conceitos como "obscenos" e "imorais" são bastante subjetivos no mundo de hoje. Classificar material pornográfico em "soft" (nudez e sexo implícito) e "hardcore" (sexo explícito contendo cenas de degradação, violência e aberrações) só ajuda didaticamente. Para muitos, Playboy é uma revista pornográfica. Para outros, não. Entretanto, da perspectiva da ética bíblica, definição acima é mais que suficiente.

A popularidade da pornografia

É exatamente pela complexidade do assunto, agravado pela omissão de boa parte das igrejas no Brasil, que muitos evangélicos estão confusos quanto ao mesmo, e não poucos são viciados em alguma forma de pornografia. Aqui estão as minhas razões para essa constatação:

1) A tremenda popularidade da pornografia no mundo de hoje. Uma estatística de 1995 revelou que os americanos gastam mais em pornografia do que em Coca-Cola. Não é difícil de imaginar que a situação no Brasil não seria muito diferente. Até países antigamente fechados, como a China, em 1993 assistiu a uma enxurrada de material pornográfico em seus limites, após ter aberto, mesmo que um pouco, as suas fronteiras para receber ajuda estrangeira. Mensalmente, cerca de 8 milhões de cópias de revistas pornográficas circulam no Brasil. Em 1994 a venda de vídeos pornôs chegou perto de 500 milhões de dólares. Não é de se admirar que as locadoras reservam cada vez mais espaço nas prateleiras para vídeos pornôs. Segundo uma pesquisa, em 1992, 1 a cada 4 brasileiros assistiu a um filme de sexo explícito. O mesmo fizeram 13% das mulheres entrevistadas. Em 1995 esse número dobrou para os homens e aumentou um pouco em relação às mulheres.

2) A imensa facilidade para se conseguir material pornográfico no mundo de hoje. Como na maioria dos demais países "civilizados" (uma conhecida exceção é o Irã) material pornográfico pode ser encontrado e consumido facilmente no Brasil em diversas formas: cinema, canais abertos de televisão, televisão a cabo e no sistema "pay-per-view", Internet, fitas de vídeo, CD-ROMs com material pornográfico, gravuras, exposições de arte erótica, livros, revistas e vídeogames, entre outros. Parece não haver fim à criatividade do homem em utilizar-se dos avanços tecnológicos para a difusão da pornografia. Como disse o escritor francês Restif de la Bretone no século 18, "La dépravation suit le progrès des lumières" ("A depravação segue o progresso das luzes").

O que tem de mais em ver pornografia?

Muito embora os evangélicos em geral sejam contra a pornografia (alguns apenas instintivamente) nem todos estão conscientes do perigo que ela representa. Menciono alguns deles em seguida:

1) Consumir deliberadamente material pornográfico é violar todos os princípios bíblicos estabelecidos por Deus para proteger a família, a pureza e os valores morais. A própria palavra "pornografia" nos aponta esse realidade. Ela vem da palavra grega pornéia, que juntamente com mais outras 3 palavras (pornos, pornê e pornéuo) são usadas no Novo Testamento para a prática de relações sexuais ilícitas, imoralidade ou impureza sexual em geral. Freqüentemente essas palavras de raiz porn- aparecem em contextos ou associadas com outras palavras que especificam mais exatamente o tipo de impureza a que se referem: adultério, incesto, prostituição, fornicação, homossexualismo e lesbianismo. O Novo Testamento claramente condena a pornéia: ela é fruto da carne, procede do coração corrupto do homem, é uma ameaça à pureza sexual e devemos fugir dela, pois os que a praticam não herdarão o reino de Deus. A pornografia explora exatamente essas coisas — adultério, prostituição, homossexualismo, sadomasoquismo, masturbação, sexo oral, penetrações com objetos e — pior de tudo — pornografia infantil, envolvendo crianças de até 4 anos de idade.

2) Consumir deliberadamente material pornográfico é contribuir para uma das indústrias mais florescentes do mundo e que, não poucas vezes, é controlada pelo crime organizado. Segundo um relatório oficial em 1986, a indústria pornográfica nos Estados Unidos é a terceira maior fonte de renda para o crime organizado, depois do jogo e das drogas, movimentando de 8 a 10 bilhões de dólares por ano. Acredito que o quadro é ainda pior hoje. A indústria da pornografia apoia e promove a indústria da prostituição e da exploração infantil. O dinheiro que pais de família gastam com pornografia deveria ir para o sustento de sua família. Alguns podem alegar que consomem apenas material soft contendo somente cenas de nudez — esquecendo que esse material é produzido pela mesma indústria ilegal que produz e distribui a pornografia infantil.

Pornografia e a escalada da violência

Não são poucos os relatórios feitos por comissões de pesquisadores que denunciam a estreita relação entre a pornografia e a crescente onda de estupros, assédio sexual e exploração infantil nos países "civilizados". Vários dos temas mais comuns em pornografia do tipo hardcore incluem cenas de sequestro e estupro de mulheres, geralmente com espancamento e tortura, além de outras formas obscenas de degradação. A mensagem que a pornografia passa aos consumidores é que quando a mulher diz "não" na verdade está dizendo "sim", e que se o estuprador insistir, ela não somente aceitará como também passará a gostar. Assim, a violência contra a mulher é exposta como algo válido e normal. A mulher é vista como objeto sexual a ser usado ao bel-prazer dos homens.

Uma outra forma de hardcore é a pornografia infantil. Esse material exibe cenas de sexo envolvendo crianças e adolescentes. Em alguns casos, crianças aparecem assistindo a cenas de sexo oral por adultos, Noutras, são violentadas e estupradas por adultos. Noutras, fazem sexo entre si. Esse material ilegal, mórbido, desumano e obsceno está disponível pela Internet até mesmo em servidores estacionados em universidades federais, conforme denúncias de jornais em dias recentes. Grandes provedores têm seções onde usuários podem bater papo sobre sexo e trocar imagens de sexo explícito com crianças, algumas delas tão degradantes, segundo uma denúncia feito pelo Instituto Gutemberg em Julho de 1997, que faz da revista "Penetrações Profundas" uma publicação para freiras.

Associado com a pornografia hardcore está o surto de violência sexual contra as mulheres e crianças nas sociedades modernas onde esse material pode ser obtido facilmente. Estudos por especialistas americanos mostram que existe uma estreita relação entre pornografia e a prática de crimes sexuais. Eles afirmam que 82% dos encarcerados por crimes sexuais contra crianças e adolescentes admitiram que eram consumidores regulares de material pornográfico. O relatório oficial do chefe de polícia americano em 1991 diz: "Claramente a pornografia, quer com adultos ou crianças, é uma ferramenta insidiosa nas mãos dos pedofílicos [viciados em sexo com crianças]". A pornografia está estreitamente associada ao crescente número de estupros nos países civilizados. Só nos Estados Unidos, o número conhecido pela polícia cresceu 500% em menos de 30 anos, que corresponde ao aumento da popularidade e facilidade em se encontrar material pornográfico. Cerca de 86% dos condenados por estupro admitiram imitação direta das cenas pornográficas que assistiam regularmente.

Crentes "voyeurs"?

Há boas razões para acreditarmos que o número de evangélicos no Brasil que são viciados em pornografia é preocupante. Pesquisadores estimam que nos Estados Unidos cerca de 10% dos evangélicos estão afetados. Considerando que no Brasil a facilidade de se obter material pornográfico é a mesma — ou até maior — que nos Estados Unidos, considerando que a igreja evangélica brasileira não tem a mesma formação protestante histórica da sua irmã americana, considerando a falta de posição aberta e ativa das igrejas evangélicas brasileiras contra a pornografia, como acontece nos Estados Unidos, não é exagerado dizer que provavelmente mais que 10% dos evangélicos no Brasil são consumidores de pornografia. Talvez esse número seja ainda conservador diante do fato conhecido que os evangélicos no Brasil assistem mais horas de televisão por dia que muitos países de primeiro mundo, enchendo suas mentes com programas que promovem a violência e o erotismo, e assim abrindo brechas por onde a pornografia penetre e se enraíze.

Mais preocupante ainda é a probabilidade de que grande parte desse percentual é de jovens evangélicos adolescentes. Uma pesquisa feita por Josh McDowell em 22 mil igrejas americanas revelou que 10% dos adolescentes havia aprendido o que sabiam sobre sexo em revistas pornográficas. 42% deles disse que nunca aprendeu qualquer coisa sobre o assunto da parte de seus pais. E outros 10% confessaram ter assistido a um filme de sexo explícito nos últimos 6 meses. Uma extrapolação, ainda que conservadora, para a realidade das igrejas brasileiras é de deixar pastores e pais em estado de alarma.

O escândalo envolvendo o pastor Jimmy Swaggart em 1988 revelou abertamente uma outra face do problema, que há pastores evangélicos que também são viciados em pornografia. Uma pesquisa feita em 1994 entre pastores evangélicos americanos revelou uma relação estreita entre o consumo de pornografia e a infidelidade conjugal. Por causa do receio de serem apanhados e de estragarem seus ministérios, muitos pastores optam por consumir pornografia como voyeurs a praticar o adultério de fato, embora alguns acabem eventualmente caindo na infidelidade prática. Quando eu me preparava para escrever esse ensaio, li diversos artigos sobre pornografia publicados em revistas americanas e européias de aconselhamento pastoral. Muitos deles são abertamente dirigidos para ajudar pastores viciados em pornografia.

Falta de decência

Infelizmente parece que estamos nos acostumando à falta de decência. Tornamo-nos como os pagãos. Temos a mesma atitude que eles têm para com a nudez e a exposição dos órgãos sexuais. A arqueologia revelou que em muitas das paredes dos templos pagãos cananitas, que foram destruídos pelos israelitas quando conquistaram a terra (Lv 26.1; Nm 33.52), havia desenhos de órgãos sexuais masculinos e femininos. Essas são as formas mais antigas de pornografia que conhecemos. Os cananitas aparentemente representavam os órgãos genitais nas paredes para excitar os adoradores e estimulá-los à prática da prostituição sagrada. Os israelitas, em contraste, tinham uma atitude totalmente diferente quanto à exposição dos órgãos sexuais. Em suas Escrituras Sagradas estava escrito que Deus cuidou em cobrir a nudez do primeiro casal após a queda (Gn 2:25; 3:7-10). Havia uma preocupação em que as vestimentas cobrissem os órgãos genitais, ao ponto de que havia uma determinação na lei de Moisés de que o sacerdote deveria ter cuidado para não subir as escadas do altar de forma a deixar que seus órgãos genitais ficassem expostos (Dt 20:26). Cão, o filho de Noé, foi condenado por ter visto a nudez de seu pai. A própria Bíblia se refere à genitália de forma reservada, usando às vezes eufemismos como "nudez" (Lv 18), "pele nua" (Ex 28.42), "membro viril" (Dt 23.1), "entre os pés" (Dt 28.57) e "parte indecorosa" (1 Co 12.23), só para citar alguns exemplos.

Podemos fazer alguma coisa, sim!

Acredito que os pastores e as igrejas evangélicas no Brasil podem fazer algumas coisas: ler os estudos e relatórios sobre os efeitos da pornografia feitos por comissões especializadas; pregar sobre o assunto e especialmente dar estudos para grupos de homens; desenvolver uma estratégia pastoral para ajudar os membros das igrejas que são adictos à pornografia; não esquecer que muitos pastores podem precisar de ajuda eles mesmos; criar comissões que se mobilizem ativamente contra a pornografia, utilizando-se dos dispositivos legais que o permitam (uma possibilidade é encorajar os políticos evangélicos a tomar posições bem definidas contra a pornografia); desenvolver uma abordagem que trate da sexualidade de forma bíblica, positiva e criativa; tratar desses temas desde cedo com os adolescentes da Igreja expondo o ensino bíblico de forma positiva; orar especificamente pelo problema.

Não estou pregando uma cruzada de moralização, embora evidentemente a igreja evangélica brasileira poderia tirar bastante proveito de uma. A pornografia é um mal de graves conseqüências espirituais e sociais embora não acredite que devamos fazer dela o inimigo público número 1, como algumas organizações moralistas e fundamentalistas dos Estados Unidos. Afinal das contas, a raiz desse problema — e de outros — é o coração depravado e corrompido do homem, que só pode ser mudado pelo Evangelho de Cristo. Hitler conseguiu em 4 anos banir da Alemanha todas as formas de pornografia e perversão e incutir na geração jovem de sua época a aspiração por altos valores morais e pela pureza da raça ariana. Os motivos eram errados e o projeto de Hitler acabou no desastre que conhecemos. Não acabaremos com a depravação moral somente com leis e discursos políticos. Jack Eckerd, um empresário milionário dono de um negócio que rendia mais de 2,5 milhões de dólares por ano, ao se converter a Cristo em 1986, determinou que todas as publicações pornográficas vendidas em suas 1.700 lojas fossem retiradas, mesmo que isso significasse a perda de alguns milhões de dólares anuais. Quando o coração é mudado as mudanças morais seguem atreladas.



Fonte: Rev. Augustus Nicodemus Lopes em Monergismo

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Ejaculação Precoce.


A Ejaculação precoce é um distúrbio típico de homens jovens, em início de atividade sexual. Quando ocorre ocasionalmente, principalmente com parceiras novas, após longo período de abstinência ou nas primeiras relações sexuais da vida, não é considerado nenhum problema médico.
Não existe ejaculação precoce feminina. Este é um distúrbio exclusivamente masculino.

A ejaculação precoce é considerada um problema quando afeta mais de 50% das relações sexuais de adultos.Não há uma definição muito objetiva do que é ejaculação precoce. Não existe um tempo limite. Alguns casos são óbvios com a ejaculação acontecendo antes mesmo de haver penetração. Em geral, define-se como uma incapacidade de controlar a ejaculação de modo que a relação seja satisfatória para o casal.

Hoje em dia se considera a ejaculação precoce um distúrbio psicológico e não uma doença orgânica propriamente dita. Não existe nenhum tipo de problema no sistema reprodutivo masculino. Pênis, testículos, próstata e vesículas seminais estão em perfeita ordem.

A ejaculação precoce pode ser dividia em primária, quando ocorre desde início da vida sexual, ou secundária, quando surge depois de alguns anos de vida sexual normal.

Normalmente nos casos primários existe algum distúrbio psicológico como ansiedade, sentimento de culpa em relação ao sexo, ou antecedentes de situações traumáticas, como abusos sexuais ou simplesmente ter sido surpreendido por alguém enquanto se masturbava.

Nos casos secundários, a ejaculação precoce pode ocorrer por um sentimento de inferioridade do homem em relação a mulher. Algo como: ela é "muita areia para o meu caminhão". Novas parceiras depois de um relacionamento longo podem levar a um sentimento de obrigação de ser efetivo. A ejaculação precoce pode também surgir após um episódio isolado de impotência sexual, provocando um quadro de ansiedade nas próximas relações. Cobranças da mulher em relação ao desempenho sexual masculino ou simplesmente o fato da nova parceira demorar mais tempo do que a anterior para atingir o orgasmo também podem ser a causa.

Como se pode ver, são todos problemas de fundo psicológico. O fato é que um episódio isolado de ejaculação precoce pode causar um estresse e uma frustração tão grande que este passa a ser o próprio fator desencadeante.

Na verdade, existem relatos de que a ejaculação precoce pode ser causada por alterações hormonais ou dos nervos que transportam os sinais dos órgãos sexuais ao cérebro. Porém, nenhuma causa objetiva foi identificada até o momento.

Causa
A principal causa da ejaculação precoce é a ansiedade. Embora parte dos indivíduos consiga controlá-la durante o ato sexual, a grande maioria dos ejaculadores precoces é ansiosa. O problema é que quanto mais repetidas forem essas ejaculações, mais ansiosos eles ficam, mais adrenalina produzem e mais rápido ejaculam. Em alguns casos, a ansiedade é tanta que acabam desenvolvendo algum tipo de disfunção erétil.
Nenhuma teoria sobre as causas orgânicas da ejaculação precoce foi comprovada. Sabe-se, porém, que algumas doenças neurológicas podem provocar o distúrbio.
Prevalência
A ejaculação precoce é comum na adolescência. A falta de experiência, o medo do mau desempenho ou de que alguém apareça de repente, entre outros fatores, criam um estado de ansiedade que acelera o momento da ejaculação. A tendência é o problema desaparecer à medida que são superados esses obstáculos.
A ejaculação precoce secundária pode acometer homens de qualquer idade, com tempo de ejaculação normal, mas que por algum motivo se tornaram mais ansiosos. "Geralmente, os ejaculadores precoces são homens ansiosos em tudo na vida. Eles se alimentam e tomam banho rápido, por exemplo", diz a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello.
Segundo a especialista, ele reconhecer este comportamento já é o primeiro passo  "O homem ansioso tem de aprender a degustar os alimentos durante a refeição, caminhar percebendo os passos, ou seja, ele tem de estar presente de corpo e alma em todas as suas atividades", afirma.
A sexóloga dá uma dica para o homem começar a superar o problema sexual. "Durante o banho, ele deve ensaboar todo o corpo e por último o genital. Assim, ele aprenderá a perceber sensações em outras partes do corpo além do pênis", diz Carla.
O psiquiatra e professor da especialização em Medicina Comportamental da Unifesp, Geraldo Possendoro, afirma que para uma relação sexual o corpo masculino passa por uma espécie de "processo preparatório".
Segundo o médico, para que o homem tenha e mantenha a ereção é necessária uma série de eventos fisiológicos de diferentes naturezas, sendo um deles a ativação da divisão parassimpática do sistema nervoso autônomo, ou seja, aquele que controla automaticamente o funcionamento dos órgãos.
Já no caso da ejaculação é estimulada a divisão simpática do sistema nervoso autônomo. De acordo com Possendoro, esta região é responsável pela ansiedade nas pessoas. Portanto, o homem entra em uma relação sexual um pouco tenso, relaxa (quando ativa a divisão parassimpática do sistema nervoso autônomo) e fica um tanto ansioso ao ser estimulado a divisão simpática no momento da ejaculação. "O orgasmo por si só gera ansiedade por ser um evento futuro", explica o psiquiatra. Conforme explicou Possendoro, o ejaculador rápido já entra ansioso na relação sexual. "Ele apresenta uma ansiedade de performance. E ao pensar que vai falhar, já ativa a divisão simpática", esclarece. "Este homem tem de mudar a maneira de pensar e sentir a situação de entrar na relação sexual. O homem deve estar física e mentalmente relaxado". Técnicas de relaxamento são trabalhadas em terapia focada na ansiedade.

O que fazer diante da ejaculação precoce:

Dar risada
Fazer uma piada da situação é uma reação válida. Se você a fizer rir com você, então o constrangimento se diluirá em uma situação engraçada durante a noite. Faça uma pausa, deixe o momento divertido e depois tente de novo.

Pedir desculpas
Você pode se desculpar por terminar rápido demais, contanto, que não se humilhe. Um rápido "sinto muito" não faz mal, no entanto, não fique lamentando o ocorrido. A única coisa para se arrepender é deixá-la insatisfeita.

Fazer cara feira
Homens adultos não devem ficar emburrados, principalmente em uma situação de ejaculação precoce. Seja homem, levante a cabeça e tente novamente. Por mais que o momento seja constrangedor, agir como uma criança de dois anos de idade, pode impedir que você tenha uma segunda chance com a parceira.

Pânico
Não entre em pânico e resista ao impulso de fugir de vergonha. Manter a calma e tentar agir como se o ocorrido não fosse o fim do mundo é um grande negócio. Se você se esconder, quando sair a parceira ainda estará te aguardando, o que torna a situação ainda mais constrangedora.

Tentar explicar
A frase "isso nunca aconteceu comigo" não deve escapar de sua boca nesta situação. Ela provavelmente não vai acreditar, apesar de sua insistência na raridade da ocorrência. Na verdade, a parceira pode até pensar que você protesta demais. Acredite ou não, as mulheres estão conscientes de que isso acontece de vez em quando.

Fingir que não aconteceu
Fingir um orgasmo é uma coisa, mas fingir não ter um orgasmo é provavelmente ainda mais difícil. Há evidências deixadas para provar que aconteceu. Portanto, não tente fingir que não houve ejaculação. Pelo contrário, passe por cima do ocorrido, e proporcione prazer à mulher de outras formas.

Distrair a parceira
A melhor reação possível diante de uma ejaculação precoce é focar a atenção em seu prazer. Desta forma, você a distrairá do fato de que você já está satisfeito. Se você estiver usando sua boca, mãos ou brinquedos sexuais para agradá-la, ela não vai se importar com a sua ejaculação precoce.

Tentar de novo
Não importa qual das reações surjam no momento do seu orgasmo prematuro, você pode salvar a situação começando tudo desde o início. Se você não consegue ejacular uma segunda vez, certifique-se de que ela está feliz e satisfeita, use outros meios à sua disposiçãoe se esforce para finalizar a noite bem.

24 Perguntas sobre Ejaculação Precoce.


Pressa e prazer dificilmente dividem o mesmo lençol. Que o digam os 30% de homens do mundo inteiro que sofrem de ejaculação precoce. De olho neles, a indústria farmacêutica acena com mais uma pílula mágica: a dapoxetina, que está em fase final de avaliação pela FDA (agência que regula drogas e fármacos nos EUA). Se aprovada, essa nova droga, que é um antidepressivo de efeito de curto prazo (pode ser usado três horas antes da relação) poderá se transformar num blockbuster comparável ao Viagra --já que ainda não existe nenhum medicamento exclusivo para a ejaculação precoce.
"A ejaculação precoce é um problema de saúde pública", afirma a psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Estudo da Vida Sexual do Brasileiro, realizado no ano passado pelo Projeto Sexualidade (ProSex), da USP. Na pesquisa, 25,8% dos brasileiros admitiram sofrer de ejaculação precoce. "Isso acaba com a auto-estima do homem e pode se transformar num problema de ereção".
A seguir, o Equilíbrio responde 25 questões depois de consultar urologistas, psicoterapeutas, ginecologistas e sexólogos
.
1 - O que é ejaculação precoce?
É quando o homem chega ao ápice da relação --antes, durante ou logo após a penetração-- com o mínimo de estímulo sexual e sem ter desejado. Esse descontrole deve ser persistente, repetitivo e causar sofrimento acentuado ou dificuldade interpessoal. A disfunção sexual é descrita dessa forma no DSM 4, o manual de diagnósticos da Associação Psiquiátrica Americana.

2 - É possível estabelecer um tempo mínimo para atingir o orgasmo?
A sigla IELT (intravaginal ejaculation latency time) --que significa o tempo de permanência do pênis dentro na vagina, desde a entrada até a liberação do sêmen-- aparece em muitas pesquisas sobre o tema. Um estudo publicado em julho deste ano no "Journal of Sexual Medicine" chegou a um IELT médio de 5,4 minutos, depois de avaliar durante um mês a vida sexual de 500 casais de cinco países. Outros pesquisadores afirmam que ejacular antes de um minuto após a penetração é o que caracteriza uma ejaculação precoce. Mas em 1,5 minuto a disfunção seria somente "provável".
Após diversos estudos feitos nos anos 60 em um laboratório em San Francisco, no auge da revolução sexual, a dupla de pesquisadores norte-americanos Willian Masters e Virgínia Johnson, pioneiros da terapia sexual, chegou à conclusão que o ejaculador rápido é o homem que não consegue se controlar por um tempo suficiente para satisfazer sua companheira em pelo menos 50% dos atos sexuais. Se a parceira persistentemente não chega ao orgasmo por outras razões, que não a rapidez do processo, o conceito deixa de ser válido. Alguns anos depois, esse percentual foi elevado para 80%. "A contribuição de Masters e Johnson, em relação às teses do cronômetro, é justamente valorizar o potencial e o prazer da mulher. Porém, o tempo que a mulher leva para atingir orgasmo é muito variável. Até por razões de repressão cultural, a resposta sexual feminina foi sempre mais demorada: por volta de 10 a 15 minutos, segundo inúmeras pesquisas", afirma o urologista Moacir Costa no livro "Quando o Sexo É Mais Rápido que o Prazer" (ed. Prestígio, 152 págs., R$ 24,90), lançado nesta semana durante o 30º Congresso Brasileiro de Urologia, em Brasília.

3 - Existe diferença entre ejaculação rápida e precoce?
Não. São duas definições para o mesmo problema. Em 2002, um consenso internacional de disfunções sexuais realizado pela Issir (Sociedade Internacional para o Estudo da Sexualidade e da Impotência), em Paris, mudou a definição de "precoce" para "rápida". A psiquiatra Carmita Abdo, que participou do consenso, afirma que a mudança serviu para deixar a classificação mais objetiva na língua inglesa. "Em português, o termo precoce continua sendo mais apropriado", diz a psiquiatra.

4 - A mulher pode colaborar com o tratamento?
Claro. A intimidade só ajuda nessas horas. Uma mulher compreensiva e disposta a ajudar é fundamental no sucesso do tratamento. Se o ato sexual for encarado mais como uma troca de afeto e menos como uma corrida pelo orgasmo, as chances de melhorar o prazer aumentam. Mulheres competitivas e dominadoras, no entanto, tendem a agravar a situação.

5 - Existe cura para essa disfunção sexual?
Sim. Atualmente, o problema é tratado com psicoterapia, com farmacoterapia ou com uma combinação das duas. Há dois tipos de ejaculador precoce: o primário, que apresenta a disfunção desde o início da vida sexual, e o secundário, aquele que adquiriu o problema depois de ter tido relações satisfatórias por alguns anos. O tratamento medicamentoso nos casos secundários geralmente é mais eficiente que nos primários. Mas os especialistas afirmam que a combinação entre as duas terapias costuma ter mais sucesso.

6 - É possível tratar a ejaculação precoce com antidepressivos?
Antidepressivos em baixas doses são muito utilizados para tratar esse tipo de disfunção. Segundo o urologista Abraham Morgentaler, a idéia original dessa indicação surgiu depois de analisar um efeito adverso bem conhecido dos antidepressivos: retardar o orgasmo. "Alguém inteligente teve a boa idéia de usar isso para quem tinha orgasmo rápido demais", afirma Morgentaler. Atualmente, são utilizados principalmente os antidepressivos do tipo ISRS (inibidores seletivos de recaptação de serotonina), que apresentam menos efeitos adversos. Segundo a psiquiatra Carmita Abdo, os antidepressivos baixam a ansiedade, condensam as secreções e diminuem excitabilidade. É recomendado o uso combinado com a psicoterapia. O medicamento também contribui para que o paciente crie um vínculo maior com a terapia.

7 - Tomar remédios contra disfunção erétil, como Viagra, tem algum efeito?
Alguns médicos recorrem a esse tipo de medicação como parte do tratamento, principalmente nos chamados pacientes secundários --que passaram a gozar rápido depois de terem experimentado uma vida sexual estável. O mecanismo de ação dessa categoria de medicação (inibidores da enzimafosfodiesterase 5, PDE5) ajuda a relaxar as células musculares lisas e aumentar o fluxo sangüíneo para o pênis. E esse tipo de remédio diminui bastante o intervalo entre uma ereção e segunda --o chamado período refratário. Isso ajudaria a inverter o efeito "bola de neve": uma relação insatisfatória baixa a auto-estima e a confiança do homem, aumentando a ansiedade e a chance de fracasso na próxima relação. "O remédio pode reverter esse ciclo vicioso. pois age diretamente na auto-estima do homem", afirma o urologista Joaquim Claro, professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

8 - Qual a origem do problema?
As causas fisiológicas são extremamente raras e controversas, principalmente quando se fala em hipersensibilidade da glande ou alto reflexo ejaculatório. Portanto os fatores emocionais e de condicionamento é que são realmente considerados pelos especialistas. "É como aprender a chutar com a esquerda e a direita", afirma a ginecologista e terapeuta sexual Jaqueline Brendler, presidente da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana. Ela afirma que, durante o "aprendizado sexual", o homem pode acabar se condicionado a gozar rápido. A iniciação sexual também é alvo de discussão. Muitos homens têm suas primeiras transas com prostitutas (que muitas vezes aceleram o ritmo da relação para acabar logo) ou em situações periclitantes (dentro de um carro, na casa dos pais da namorada). "Antigamente, gozar rápido era sinal de virilidade. De meio século para cá, a partir do momento em que a mulher passou a ter seu papel na relação, esse conceito começou a mudar. Os homens passaram a ter de acompanhar o ritmo da parceira e se tornaram mais frágeis, vulneráveis", afirma a psiquiatra Carmita Abdo.
"Existem teorias ainda hipotéticas que apontam para predisposição genética e um distúrbio no receptor 5-HTT [responsável pela reabsorção da molécula de serotonina pelos neurônios]", afirma a psiquiatra. Muitos especialistas acreditam que, além de demonstrar pressa nas preliminares e antecipar a penetração, os "rapidinhos" também apresentam um grau de ansiedade elevado em outros setores da vida. E essa ansiedade é retroalimentada pela ejaculação precoce.

9 - Pensar na conta do banco ou no enterro do cachorro ajuda a retardar a ejaculação?
Não. Para poder desenvolver o autocontrole, o homem tem de se concentrar no sexo e no que está acontecendo com o seu corpo. Identificar os estágios do próprio tesão é o primeiro passo para poder controlar a ejaculação. "Tenho pacientes que falam para a mulher se mexer o mínimo possível e pensam em outra coisa. Mas isso cria uma ansiedade ainda maior para a relação", afirma o urologista Celso Marzano, diretor do Isexp (Instituo Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática). Segundo ele, o tratamento da terapia sexual exercita o autorelaxamento para que seja possível conhecer a própria resposta sexual.

10 - Uma ducha fria antes funciona?
Pode servir como forma de relaxamento, mas não tem efeito direto sobre o problema.

11 - Vale tomar um drinque para relaxar?
A questão é delicada. Como o álcool é depressor do sistema nervoso central, é preciso mais estímulos para chegar ao orgasmo, mas uma dose a mais pode comprometer a ereção e arruinar a noite. Além disso, muitos ejaculadores precoces acabam dependentes do álcool para ter relações sexuais. Como crente não bebe, ele deve descartar essa possibilidade.

12 - Qual o efeito de drogas como maconha ou cocaína?
Como o álcool, elas agem no sistema nervoso central, diminuindo a percepção erótica, e podem retardar a ejaculação nas primeiras vezes. Um erro na dosagem também pode causar a perda da ereção. Além disso, o uso abusivo dessas drogas, principalmente da cocaína, pode levar a uma disfunção erétil, além de causar outros problemas emocionais, físicos, sociais e espírituais.

13 - A aplicação de gel anestésico no pênis tem efeito?
Não. Nenhum estudo científico com esses produtos mostrou resultado. Além disso, o gel pode inibir o prazer da mulher pela anestesia do clitóris.

14 - Anéis penianos vendidos em sex shops podem ser usados para retardar a ejaculação?
Esse tipo de recurso é altamente desaconselhado pelos especialistas. "Tem muita gente que se machuca com isso. É um perigo. Pode causar edema por vasoconstrição, levar a estreitamento da uretra e causar gangrena do pênis. Deveria ser proibido", afirma o urologista Joaquim Claro, da Unifesp.


16 - Segurar a vontade de urinar e controlar o jato de urina pode ajudar?
Saber controlar o jato de urina ajuda a fortalecer a musculatura envolvida no ato sexual, mas não resolve o problema e transar com a bexiga cheia gera apenas desconforto. "Na índia, há uma infinidade de técnicas. Uma delas é entrecortar o jato de urina várias vezes", afirma o professor de ioga e biólogo Anderson Allegro.

17 - Jovens ejaculam mais rápido?
Por conta da falta de experiência, é normal que pessoas mais novas tenham menos controle desenvolvido, um nível maior de ansiedade em relação ao ato e a confiança reduzida quanto ao desempenho sexual. Quando o comportamento se prolonga por dois ou três anos com prática regular (de duas ou três vezes por mês) sem haver melhora na performance, é aconselhável uma avaliação terapêutica.

18 - Existe diferença entre orgasmo e ejaculação para o homem?
Fisiologicamente os dois devem coincidir, mas existem casos em que a ejaculação precede orgasmo e vice-versa. Não são sinônimos: orgasmo é o prazer máximo do ato sexual e ejaculação é a saída de sêmen pela uretra peniana.

19 - Existe alguma posição sexual que favoreça ou não o controle da ejaculação?
Não há uma regra, mas facilita se a relação começar pela posição que seja menos excitante para o homem. Muitos especialistas defendem que a posição "papai mamãe" (o homem sobre a mulher) é a pior para os "rapidinhos" por dois motivos: possibilita contato maior dos corpos e é a posição mais comum, a que o homem já está mais habituado. A necessidade de mudar o "script" também é fundamental no trabalho de descondicionamento sexual. A mulher por cima, deixando os movimentos somente com o parceiro, é uma das primeiras indicadas nas terapias sexuais.

20 - É possível fazer uma cirurgia para diminuir a sensibilidade do pênis?
Essa prática é totalmente condenada pela Sociedade Brasileira de Urologia. Não existe nenhuma comprovação científica dos resultados desse tipo de cirurgia. Chamada de neurotomia, consiste na secção e/ ou cauterização dos nervos penianos. O objetivo é reduzir a sensibilidade da glande como forma de controle da ejaculação, mas pode levar a um quadro parcial ou definitivo de falhas de ereção, dependendo da extensão da lesão nervosa.

21 - Injeções no pênis para melhorar a ereção são recomendadas?
Não. Algumas clínicas vendem a idéia falsa de que injeções de substâncias como a protaglandina e papaverina, aplicadas diretamente no pênis, podem resolver o problema da ejaculação rápida. "Não confie em nenhuma dessas soluções rápidas e milagrosas", afirma o urologista Moacir Costa.

22 - A ejaculação representa o fim da relação sexual?
"Para os inteligentes, não", afirma a ginecologista Jaqueline Brendler. "Mesmo depois da ejaculação, se o movimento sexual continuar, a mulher pode chegar ao orgasmo em questões de segundos."

23 - O uso de preservativos ajuda ou atrapalha?
É relativo. Alguns ejaculadores precoces acreditam que a camisinha diminui a sensibilidade e, dessa forma, dá mais chances de segurar os impulsos --há quem use dois preservativos. Outros acham que a parada para a colocação do preservativo é o que atrapalha. Na pesquisa com 500 casais citada na primeira pergunta, o uso ou não de preservativos não teve influência nos resultados do tempo de permanência intravaginal sem ejacular.

24 - Existe relação entre diabetes e ejaculação precoce?
Não. Após muitos anos de doença sem tratamento adequado, diabéticos podem apresentar comprometimento da enervação peniana, que interfere no mecanismo de ereção.

O papel do sexo no casamento cristão.


O mundo moderno é enfeitiçado pelo sexo. Os programas de televisão, propagandas comerciais, internet, outdoors, e até mesmo livros escolares não se cansam de falar no assunto. No trabalho, são frequentes as piadas ou conversas que tratam do tema. Esse parece ser o tópico preferido do ser humano.

Homens e mulheres possuem visões diferentes a respeito do sexo. Para eles, o sexo representa o início de uma relação íntima mais profunda. Para elas, representa a conclusão da intimidade.

Em nossa época, falamos e ouvimos sobre sexo mais do que nossos pais e nossos avós. Porém, entendemos bem menos. Por quê? Porque não paramos para pensar sobre qual é o verdadeiro significado da relação sexual em nossa vida diária. Seja sincero: o que o sexo representa para você? Já havia pensado nisso antes? E mais importante ainda: qual é o propósito de Deus com o sexo? Deus nos fez criaturas sexuais, e por essa razão, é preciso entender qual o padrão de relacionamento íntimo foi designado por Ele, ao nos criar.

Entendendo o desvirtuamento do sexo

O sentido da sexualidade do casamento tem, com o tempo, perdido muito do seu propósito original. Algumas pessoas tendem a colocar a sexualidade como o ponto principal, a razão maior para o casamento. Outros buscam colocar a sexualidade num plano mais baixo, sendo necessário apenas para a reprodução. Entretanto, uma sexualidade saudável não é algo que simplesmente diz respeito apenas ao ato sexual.

Na Bíblia, em Gênesis 2:25, há um texto que diz: “E ambos estavam nus, homem e sua mulher, e não se envergonhavam”. Refletindo sobre ele, podemos ver que quando o homem e a mulher foram criados, ambos estavam nus, e não se envergonhavam. Ambos estavam completamente expostos. Nenhum dos dois tinha nada a esconder da outra pessoa. Sua intimidade era tanta, que ambos se viam por completo, e não se envergonhavam. Não havia traumas, sofrimentos, tristezas, mágoas, nada. Eles não tinham qualquer parte um do outro que não entendiam. Estavam completamente ligados tanto emocional, quanto espiritual e intelectualmente. Tudo isso era representado pela ligação física.

Esse é o propósito de Deus para o sexo no casamento. É para ser um aspecto concreto que reflita um relacionamento de intimidade que ultrapasse a questão física. É para ser um elemento que lembre ao casal o quanto ambos estão próximos com respeito aos outros aspectos da vida. A intimidade física será satisfatória quando as intimidades sociais, intelectuais, emocionais e até espirituais estiverem de acordo. Por isso que quando um casal discute, ou quando um casal briga, não é possível para a maioria pensar em ter momentos de intimidade. As coisas precisam estar bem emocionalmente para que possam usufruir do prazer físico.

Entretanto, com a entrada do pecado, essa perfeita intimidade, essa perfeita união foi quebrada. E assim, começamos a ter vergonha, a querer nos esconder, e não sermos satisfeitos com a maneira que realmente somos. E assim vivemos até hoje.

O Sexo hoje

O problema é que com o passar do tempo, parece que o desejo sexual deixou de ser uma coisa envolvendo o relacionamento total com a outra pessoa, e passou a ser simplesmente uma satisfação de desejos físicos. Ao invés de ser uma representação da união total, passou a ser um fim em si mesmo. É por essa razão que hoje muito se fala sobre o sexo, mas sem contribuir para a felicidade do casal.

Em geral, as conversas sobre sexo são relatos factuais, ou mesmo clínicos, nos quais as pessoas se mostram cada vez mais fascinadas com o mecanismo da relação sexual. Os mais velhos não gostam de falar abertamente sobre a relação. Dão uma piscadinha de olho, falam por meio de metáforas, ou mesmo ao invés de citar as coisas, simplesmente se calam com vergonha. Já os mais novos, desenvolvem uma maneira de falar que demonstra ao mesmo tempo que se interessam, mas que nada entendem. Só que têm vergonha de perguntar a seus pais, e por isso, acabam tendo como fontes de informação seus colegas. E assim crescemos com respeito ao sexo. Apesar de vivermos numa sociedade sexualizada, pouco ou nada sabemos em realidade acerca do real propósito do sexo.

Quatro Verdades Bíblicas sobre o Sexo

Deus nos criou com o desejo sexual. Algumas pessoas pouco informadas chegam a pensar que o sexo foi o que fez Adão pecar. Mas não é isso. Deus criou o sexo para que ele completasse a felicidade no casamento.

Para alguns cristãos isso parece uma blasfêmia, por isso gostaria de apresentar aqui quatro argumentos baseados na Bíblia para comprovar isso que estou falando:


*Sexo expressa Amor. Não há palavra mais gasta e mais usada em nosso vocabulário que amor. Eu amo minha mãe, minha esposa, bolo de chocolate, e até minha roupa nova. Falamos tanto essa palavra, e em tantos contextos, que perdemos de vista o seu real sentido. Alguns até se referem ao sexo como “fazer amor”, só que na prática mesmo, só querem receber. O sexo conforme Deus idealizou é um tipo de relação que traz segurança para o casal. Por quê? Porque no sexo que Deus idealizou, cada um está preocupado em dar prazer ao outro, e não simplesmente receber. Ouvi certa vez uma pessoa dizendo que não se preocupava com o fato da mulher não ter o mesmo prazer que ele na relação. “Eu estou aqui. Se ela não conseguir, a culpa é dela”. O amor que deve realmente ser expressado na relação sexual é aquele que se preocupa com o bem estar da outra pessoa, que respeita os momentos em que ela ou ele não estão dispostos, e que também se preocupa com o antes e o depois. Toma tempo para preparar a outra pessoa, permite que o clima seja criado. E cuida de si também, se mantendo asseado(a), limpo(a), preparado(a) tanto física quanto emocionalmente.


*Sexo é Diálogo. O homem e a mulher são fisicamente atados um ao outro desde a criação. Deus criou a mulher da costela de Adão. E desde então, o homem tem nascido da mulher. Ambos estão intimamente relacionados; eles ficam incompletos um sem o outro. Por isso é besteira pensar que o casamento é simplesmente uma parceria entre duas pessoas independentes. O sexo demonstra de uma maneira física e literal que eles ainda são um. É como se fosse um diálogo físico. É uma maneira de participar completamente da vida da outra pessoa sem demonstrar medo ou egoísmo. Assim, na relação sexual, cada parceiro precisa estar sensível às necessidades da outra pessoa, pronto para responder, e paciente para deixar que a outra pessoa se expresse. E, se por acaso isso não acontece em seu relacionamento sexual, invista tempo, converse, dialogue e ore com seu cônjuge, e com o tempo Deus abençoará sua relação.


*Sexo traz Prazer. O mundo sem Deus nos faz pensar que o prazer é o único propósito do sexo. Não é. Só que parte da benção do sexo envolve prazer. E isso foi planejado por Deus. Podemos saber disso porque a mulher tem em seu corpo um órgão, denominado clitóris, cuja única função é dar prazer. Por que Deus colocaria isso no corpo feminino se ter prazer fosse um pecado? Outra maneira de percebermos isso é lermos o livro de Cantares de Salomão, no qual a relação entre marido e esposa é vividamente relatada por meio de expressões de prazer e satisfação (Ex. Cantares 1:7, 4:16; 6:3; 7:10).


*Sexo honra a Deus. Isso talvez seja a verdade mais difícil de se perceber. Muitas pessoas que têm uma visão de sexo mais profana, têm dificuldade de perceber que isso é parte da atitude de louvar a Deus. Podemos argumentar sobre isso citando o texto de I Coríntios 10:31: “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus”. Tudo o que fazemos: comer, beber, dormir, conversar com nossos amigos, os negócios, e até mesmo a relação sexual – tudo deve ser feito de uma maneira que glorifique a Deus. E esse é o teste maior do seu amor por Deus. Será que Ele é honrado pela maneira como você e seu cônjuge se relacionam? Será que os anjos podem estar presentes, cuidando de vocês, durante seus momentos de intimidade?

Muitos manuais sobre sexualidade afirmam que os métodos são muito importantes para trazer prazer. Na perspectiva de Deus, e por Sua Palavra, percebemos que os motivos são tão importantes quanto a maneira que o sexo é feito. Se um homem ou uma mulher entram na relação sexual com motivos pervertidos ou egoístas, perdem um dos presentes mais maravilhosos dados por Deus. Eles O insultam.

Deus deseja fazer da intimidade física de seu casamento a concretização da união de vocês em todos os outros aspectos da vida. Não dá para considerá-lo separado das outras partes da vida a dois. Problemas em outra área da vida, terão reflexo na relação sexual. Mas, Deus está sempre pronto a nos conceder uma sexualidade plena se O permitirmos tomar conta de nossa vida.

Que Deus abençoe sua família,
Osmar Reis Junior e Bruna Mateus Rabelo dos Reis
Psicólogo do CEAFA e esposa