sexta-feira, 8 de junho de 2012

Meninos Na Fé:





Introdução:

Quando uma pessoa aceitava Jesus como Senhor e salvador, ela começa a experimentar uma transformação gradual em sua vida, o levando ao crescimento espiritual, rumo ao amadurecimento espiritual, muito importante para que um cristão possa se manter salvo e não servir se empecilho para os demais membros do Reino de Deus, e assim não servir de escândalo.

Nós mesmos devemos ser os observadores da nossa vida espiritual, e sem cera, repararmos se estamos progredindo ou regredindo como cristão, nesta nossa busca de sermos parecidos com Cristo, ou seja, se estamos sendo maduros ou Menino na Fé.


       1.  Algumas Característica dos Meninos na Fé.

Por mais que algumas pessoas sejam usadas com poder em sinais e na pregação da palavra e estejam de frente em muitos ministérios, mesmo assim muitos deles são meninos na Fé, não são maduros, vejamos algumas características de um menino na fé.

1.1. São meninos na fé aqueles que não: Se compadece do próximo, e que não aceita sugestão.

"E disse o Senhor: A quem, pois compararei os homens dessa geração, e aquém são semelhantes. São semelhantes aos meninos, que assentado na praça, clama uns aos outros e dizem: nós tocamos flauta e não dançaste, cantamos lamentação e não choraste" (Lc. 7.31).

Jesus compara os homens daquela geração com crianças que não fazem no devido tempo o que deveriam fazer e ainda não aceitam quando são chamados atenção. Esta escrito que nós devemos "chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram" (Rm. 12.12), que a tempo para tudo debaixo do sol "tempo de chorar tempo de rir, tempo de prantear tempo de saltar... tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar". (Ec. 3.4,5a).  "Melhor é ir na casa onde há luto, do que ir na casa onde há banquete, por que naquela se ver o fim de todos os homens, e os vivos aplicam no coração. O coração dos sábios esta na casa do luto, mas o coração dos tolos na casa da alegria" (Ec. 7.2,4)

O pior disso tudo, é que tem crente que só deixam de chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram, eles ainda são daqueles que se alegram com a tristeza do próximo e chora com alegria do próximo. Uma coisa é certa se tocaram flauta e não dançaram, cantaram lamentação e não choraram é um menino na fé.

1.2. . São meninos na fé aqueles que não: querem crescer e agir com maturidade.

"Quando eu era menino, sentia como menino, decorria como menino, mas logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino" (1Co. 13.11).

O apostolo Paulo estava falando para os irmãos da igreja em Coríntios que eles não podiam continuar falando, sentindo e agindo como se estivessem no mundo ou fossem novos convertidos.
É claro que nenhum cristão é perfeito e que nós todos temos algo que precisamos deixar a cada dia, mas é inaceitável como tem pessoas que na maioria das suas atitudes são parecidas com de um incrédulo, a palavra de Deus nos diz que "quanto ao trato passado, vos despojei do velho homem, que se corrompe pela concupiscência do engano... não andei mais como andam os outros gentios na vaidade de seu sentido" (Ef. 4.22,17a).

Este texto também nos aponta para aquele cristão que já tem certo tempo de convertido, mas que ainda tem as mesmas questões que possuía quando era novo convertido, é lamentável, mas é uma realidade, esses são chamados os fracos na fé.

1.3. . São meninos aqueles que são: Levados por modismo espiritual:

"Para que não mais sejamos meninos levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulentamente" (Ef. 4.14).

Paulo faz aqui uma alusão a um fato muito comum naquela época pessoas que eram enganadas em roda de jogo de dados, como nós vemos nos grandes centros hoje em dia, ou crianças que são sempre enganadas por que estão sempre em busca de novidade, me fazendo lembrar de algo também muito comum hoje em dia,  e em crianças que são enganados por pessoas más (sequestradores, estupradores, traficantes de crianças, aliciadores etc.), quando este lhe oferecem um doce ou um dinheiro.

Por isso ele disse que devemos ser maduros para que o nosso corpo e mente se fortaleça, e assim não sejamos removidos de nossa posição por qualquer vento de doutrina, isso não quer dizer que temos que conhecer todo modismo e heresia que nos ronda, só precisamos conhecer a verdade que nos fará identificar rapidamente o erro.
Uma pessoa que esta sempre em busca de novidade, não pode ficar sabendo, que tem uma pessoa, em um lugar sendo usada por Deus que quer ir lá para ver, sem se preocupar em saber o que a esta pessoa defende ou acredita, por isso é facilmente enganada, eles não podem saber de mais um show gospel que acham que não podem perder e fazem de tudo para ir, não podem ouvir falar de uma nove visão que querem experimentar para ver se soluciona o seu problema.  É UM MENINO NA FÉ!

1.4.  São meninos aqueles que não: Se desenvolve no conhecimento da palavra:

"Não sejamos meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia e adultos no entendimento" (1Co. 14.20).

O que esse texto nos diz é que nós devemos ser maduros no conhecimento da palavra e deixarmos para sermos meninos na malícia, como as crianças que não tem maldade.
Não podemos ser como meninos que não tem discernimento para saberem se algo é benéfico ou não, por que não possuem conhecimento, o pior é que muitos pelo tempo que possuem no evangelho e pela oportunidade que tiveram, já deveriam ser maduros no conhecimento e no entendimento, serem mestre na palavra e estarem aprendendo coisas mais profunda das escrituras e ensinando a outros de que maneira couvem andar, mas não podem porque ainda são meninos na fé, e ainda precisam dos rudimentos do evangelho (Hb. 5.12-14; 6.1-3). A palavra de Deus nos diz para que "cresçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor".
O contraste é que a palavra de Deus nos diz que nós devemos ser como um menino recém nascido e assim como eles desejam leite nós devemos desejar a palavra (1Pe. 2.2).

1.5.  São meninos aqueles que são: contenciosos e invejosos:

"E eu irmãos não vos pode falar como espirituais mas como carnais, como meninos em Cristo, com leite vos criei e não com manjar, por que ainda não podeis e nem ainda podes, por que ainda sois carnais. Pois havendo entre vós inveja contenda e dissensões, não sois por venturas carnais e não andais segundo os homens" (1Co. 3.1,2).

O apóstolo Paulo deixou claro para os membros da igreja em Coríntios que por mas que eles tivessem diversos dons e tivessem sido instruídos por ele mesmo, aqueles irmão ainda eram meninos. Por que ainda havia entre eles brigas e divisões, por causa de invejas e contendas, por isso que eles não eram espirituais mais carnais.

Muitos crentes se gabam em fazer parte de tal ministério ou de serem ovelhas do pastor fulano de tal, como se isso fosse um sinal de que eles são crentes maduros, isso de nada adianta se ainda temos em nossas meio invejas, contendas etc. E o escritor da carta às dozes tribos que andavam dispersas vai alem dizendo que tais atitudes não são apenas carnais mais terrena, animal e diabólica (Tg. 4.13-18).

   2. Por que nescessitamos de crescimento espíritual.

Para que possamos não ser meninos na fé e alcançarmos a maturidade Cristã, que nada mais é do que sermos parecidos com Cristo e parecido com o Pai celestial (Ef. 5.11; Mt. 5.48). O que é possível quando olhamos para Cristo e o imitamos (1Jo. 2.6; Cl. 2.6,10; Ef. 4.17-23). Foi o que o apóstolo Paulo entendeu, praticou e nos exortou a fazermos o mesmo (1Co. 11.1; 4.16; Fp. 4.9).

2.1. Deus deseja e requer a nossa maturidade cristã:
(Ef. 4.12,12; Cl. 3.12-14; 1Ts. 4.1,10; 1Co.15.58; 13.11).

Muitos Pensam que alcançar a perfeição espiritual é ser cheios de poder, ao ponto de ser capaz de transportar os montes, porém a palavra de Deus nos ensina que o verdadeiro crescimento espiritual esta no fato de sermos novas criaturas, e de termos a nossas vidas transformadas (2Co. 5.17; Gl. 6.15).
 Um dos objetivos de nossa conversão é sermos como a primícia da criação de Deus (Tg. 1.18), no entanto essa transformação é adquirida gradativamente (2Co. 3.8; Pv. 4.18).

Obs. Jesus cristo quando esteve entre nós era 100% Deus e 100% homem em se mesmo, se a vontade de Deus é que seus filhos sejam parecidos com Cristo, isso é mais provável que esteja se referindo a parte humana de Cristo e não a divina, por que na divina isso é impossível. Ser uma pessoa madura espiritualmente é SER HUMANO, como o homem deveria e deve ser, e não um super-humano.

Conclusão:

As igrejas de Coríntio se gabavam de grandes coisas, dos Dons que possuíam, dos instrutores que tiveram e da liturgia que seguiam, mas era uma Igreja sem maturidade cristã, eram meninos na fé, que os crentes venham entender que ser uma pessoa madura espiritualmente e diferente daquilo que vemos hoje.










Um comentário: