terça-feira, 19 de junho de 2012

Vencendo a Ansiedade (Mt. 6.24-34)






Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?(Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. 





O que é ansiedade?  È uma Necessidade obsessiva de alcançar um objetivo, junto com um forte medo de não conseguir alcança-lo; por isso os ansiosos são impacientes. A ansiedade está baseada principalmente no sentimento de medo.

A ansiedade é um dos grandes males modernos. Ela é reconhecida como a causa de muitas doenças, principalmente as gástricas (estômago). A pessoa ansiosa se pré-ocupa, ou seja, se ocupa antes do tempo, antecipa sofrimentos, vive hoje os problemas de amanhãé inquieta, e nervosa.

Quando nos sentimos como que impotentes diante do mundo, da vida e de nós mesmos, perdemos a tranquilidade que, infelizmente foi sufocado pelas pressões da vida, é a paz que se foi, e a serenidade que fica esquecida neste tempo de ansiedade.

A ansiedade pode se manifestar de quatro maneiras: pela fuga, pela imobilidade, pela agressão (defesa agressiva) e pela submissão. Quando isso ocorre, a ansiedade, ao invés de propiciar adaptação, ela estabelece riscos sociais à pessoa afetada por ela, impedindo-a de perceber perigos reais que a ameaçam ou levando-a a ferir regras sociais. Ao ficarmos presos à ansiedade, vemo-nos prejudicados no desempenho de tarefas em que se requerem raciocínio lógico, concentração e decisões rápidas.


   1.  A Bíblia nos dar vários alertas sobre a ansiedade.

 1) Em 1 Samuel 1. 16) Ana ao ser interpelada pelo Sumo-Sacerdote Eli, fala que estava a se derramar diante do Senhor devido ao excesso de ansiedade.

 2) Em Provérbios 12.25 o sábio assevera que a ansiedade no coração do homem o abate.

 3). Em Tiago 5.7 A paciência associada e em contraste com a riqueza.

 4).  Em 1 Pedro 5.7 fala-se de toda a ansiedade que devemos lançar sobre o Senhor.

5)  Outro exemplo é aquele do Sermão do Monte (Mt 6. 25-34), em que Jesus alerta sobre os riscos de se deixar dominar pela ansiedade.

   2.  Por que Jesus apresenta a ansiedade como pecado?
 Ficar ansioso é uma desobediência a Deus, a ordem é clara ... não andeis cuidadosos..." (v.25b). Não andeis, pois, inquietos... (v.31ª). Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã... (v.34ª).
O que esses textos nos apresentam nãé uma sugestão, mas um mandamento do Senhor Jesus. O mesmo disse o apóstolo Paulo. Não estejais inquietos por coisa alguma... (Fp. 4.6a).


 Por que a ansiedade é apresentada por Jesus neste texto tendo como causa o amor ao dinheiro e a falta de confiança em Deus. Veja, que o contexto em que esse texto esta inserido se refere diretamente aos problemas trazido para aqueles que tem o coração nos tesouros terrenos e a falta de confiança em Deus (v. 24,25).

 Por que a ansiedade faz parte do comportamento dos gentios, quem fica ansioso estar agindo como um gentio e não como um cristão, veja o que Jesus disse "Porque todas essas coisas os gentios procuram..." (v.32a)Jesus já vinha dando a entender isso que a ansiedade é uma atitude dos gentios por que manifesta a sua falta de confiança em Deus, por isso que eles quando oram vazem isso repetida vezes por que só assim eles acham que serão ouvidos E orando não useis de vãs repetições, como os gentios que pensam que, por muito falarem serão ouvidos (Mt. 6.7)
 E nós não podemos ser semelhantes a eles, temos que ser pessoas despida das práticas gentílica (Mt. 6 7,8; Ef. 4.17-24).


2.1. Como Jesus apresenta as atitudes de um gentio nesta parte de seu sermão

Jesus dava os seus ensinamentos, muitas vezes combatendo as atitudes errada dos escribas e fariseus, que neste caso eles se assemelhavam a outros povos, no que tange a sua esperança. O que Jesus adverte para os seus discípulos, era para que eles mesmos fossem seus seguidores terem atitudes de gentios. Como os gentios vivem e como os cristãos podem viver da mesma maneira?

 Só pensavam nas coisas terrenas (vs. 19-21).
 Possuem uma ótica equivocada da vida (v. 22,23).
 São idólatras (v224).
 Não confiam em Deus (v. 25-32; 7,8).
 vivem preocupados, sem esperança, sendo imediatistas (v.34).
 julgam precipitadamente (7.1-5).
 Dão o que eles têm de mais valoroso aos imundos (7.6).
 Não pedem a Deus (7.7-11)
 Não buscam a Deus (6.33).
 Só pensam em seus interesses (7.12).
 Buscam o caminho mias fácil (7.13,14).
 São facilmente enganados (7.15-20).
 E por não terem uma vida com Deus serão condenados (7.15-19).


Jesus toma a situação dos gentios e adverte os seus seguidores, para que não sejam semelhantes a eles. Os Escribas e fariseus se vangloriavam tanto se dizendo seguidores da lei, e por isso se achavam espirituais, mas não passavam de gentios em suas reais intenções e atitudes (Rm. 2.1).

2.2. Jesus apresenta uma pessoa tomada pela ansiedade como sendo extremamente egoísta.

 Só pensam em seus interesses (7.12).
A ansiedade nos faz confiar só em nós mesmos e traz frustração. Lc. 12. 17-19; (Ansiedade é sempre incrédula e só acredita em si para resolver os problemas), vejam quantos verbos são conjugados em primeira pessoa nesta parábola (pronunciados por "eu").
Outra coisa sobre a ansiedade está registrada nos vs. 20 e 21 deste mesmo texto que tudo que conseguiremos baseados em nossa ansiedade e não em nossa confiança em Deus; certamente nos trará frustração.  (Mt. 6.19-21; Tg. 4.13-17; 5.1-5; 1Pe. 1.24,25; 1Jo. 2.15-17).

    3.  Como vencer a ansiedade  (Jo. 6; Fl. 4. 6-9)

 A ansiedade é uma praga emocional tão seria que em vários momentos das escrituras ela é combatida. Veremos o que a palvra de Deus nos diz para sermos vitoriosas contra a ansiedade.


3.1. Restabeleça a sua confiança em Deus (Mt. 6. 26, 30, 32b; 7.9-11) .

3.2. Decida não ficar ansioso.
Diga não para ansiedade (Mt. 6.25,31; Fl. 4.6; 1Pe. 5.7).

3.3. Apresentem os seus temores diante de Deus em oração.
Antes de qualquer coisa devemos orar como fez Jesus no Getsamani.

Obs. o Jesus que sai do Getsamani e o mesmo que estava lá orando, cheio de agonia, ao ponto que o seu suor se transformou em sangue e os anjos do céu vieram consola-lo. Olhem como ele fala com os seus discípulos.

“E, deixando-os de novo, foi orar pela terceira vez, dizendo as mesmas palavras. Então chegou junto dos seus discípulos, e disse-lhes: Dormi agora, e repousai; eis que é chegada a hora, e o Filho do homem será entregue nas mãos dos pecadores. Levantai-vos, partamos; eis que é chegado o que me trai. E, estando ele ainda a falar, eis que chegaram Judas, um dos doze, e com ele grande multidão com espadas e varapaus, enviada pelos príncipes dos sacerdotes e pelos anciãos do povo”. Mateus 26:44-47

Tendo, pois, Judas recebido a coorte e oficiais dos principais sacerdotes e fariseus, veio para ali com lanternas, e archotes e armas. Sabendo, pois, Jesus todas as coisas que sobre ele haviam de vir, adiantou-se, e disse-lhes: A quem buscais? Responderam-lhe: A Jesus Nazareno. Disse-lhes Jesus: Sou eu. E Judas, que o traía, estava com eles. Quando, pois, lhes disse: Sou eu, recuaram, e caíram por terra. Tornou-lhes, pois, a perguntar: A quem buscais? E eles disseram: A Jesus Nazareno. Jesus respondeu: Já vos disse que sou eu; se, pois, me buscais a mim, deixai ir estes;” João 18:3-8

 A oração aparece entrelaçado, ou fazendo parte de tudo nos ensinamentos dados pelo Sr. Jesus no sermão do monte. Na vida cotidiana (5.23,44), na vida devocional (6.6-15), na esperança em Deus (7.7-12) deve sempre haver oração.

 E como deve ser essa oração. (Fl. 4. 6).

3.4. Compartilhe pessoas santas as suas ansiedades (Tg.5. 16, Ec. 4.9-12).

3.5. Tenha paz sobrenatural de Deus em se mesmo pela fé. (Fl. 4.7; Jo. 14.27).

A palavra de Deus nos apresenta três tipos de Paz.

 Paz com os homens.
Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens (Rm. 12.18). Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; Heb. 12.14
 Paz consigo mesmo.
Paz seja contigo. Os amigos te saúdam. Saúda os amigos pelo seu nome. 3Jo. 15
 Paz com Deus.
Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo Ro. 5.1

3.6. Tenha bons pensamentos e descarte os pensamentos negativos. (Fl. 4)


“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.” Filipenses 4:8

“Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Colossense 3.2.“

Conclusão:

Estudos científicos concluíram que ter o pensamento em Deus diminui a ansiedade e a dor.

Pensar em Deus diminui os problemas de ansiedade e dor, segundo estudo publicado hoje pela revista científica britânica New Scientist. A pesquisa, feita por cientistas da Bowling Green State University de Ohio (EUA), conclui que a meditação espiritual facilita o relaxamento e ajuda as pessoas a suportar a dor.
Os especialistas chegaram a essa conclusão depois de fazer uma experiência com estudantes voluntários que foram reunidos em três grupos de meditação. Em um primeiro grupo, o chamado "espiritual", os participantes tiveram que se concentrar e repetir frase como "Deus é amor" e "Deus é paz".
Os pesquisadores pediram a um segundo grupo, o "secular", que pronunciasse frases do tipo "Sou feliz" e "Estou contente". O terceiro grupo simplesmente tinha que relaxar.
Os três grupos praticaram as tarefas solicitadas pelos especialistas durante 20 minutos por dia durante duas semanas, enquanto os pesquisadores usavam técnicas psicológicas para avaliar o estado de ânimo dos participantes.
Além disso, os autores do estudo testaram a resistência dos estudantes à dor medindo o tempo que eles conseguiam manter as mãos em um recipiente com água a dois graus centígrados. No final, os voluntários do grupo "espiritual" deram mostras de uma maior redução da ansiedade que o resto, pois foram capazes de manter as mãos na água gelada durante um período de tempo duas vezes mais longo que os outros participantes.
A diretora do estudo, a professora Amy Wachholtz, da Bowling Green State University de Ohio, explicou que, ao pensar em Deus, os estudantes do grupo "espiritual" alcançaram um estado mais complexo que o mero relaxamento. "É possível que exista algo único e inerente à prática da meditação espiritual que não pode ser obtido por meio da meditação secular ou do relaxamento", declarou Wachholtz.















Nenhum comentário:

Postar um comentário