domingo, 18 de janeiro de 2015

Doutrina de Deus, Doutrina de Homens ou Doutrina de Demônios? Qual é a Sua?

"Doutrina" – É a revelação da verdade conforme se encontra nas escrituras.
Doutrina é de origem Divina, tem um alcance universal e é imutável, por isso que a palavra de Deus é atemporal e transcultural.

Formas diferentes de doutrina.

Há pelo menos três formas de doutrina, uma ê sublime e santa, as outras são perniciosas, nocivas, prejudiciais e maléficas.

• Doutrina de Deus – (Dt. 32.1-2; Pv. 4.2; Mt. 7.28; Jo. 7.16; At. 2.42; 13.12; Tt. 1.14).

• Doutrina de homens – (Jr. 33.16; Mt. 15.9; 16.12; Cl. 2.22; Tt. 1.14).

• Doutrina de demônios (1Tm. 4.1; Mt. 13.19; Tg. 3.15; 1Jo. 4.1; 2Jo. 7).

Conclusão:

A distorção da doutrina bíblica vem em grande parte das igrejas neopentecostais e de outros grupos similares. Também vem das seitas falsas, como Ciência Cristã, Igreja Local, Igreja da Unificação, Igreja Messiânica, Testemunhas de Jeová, Mormonismo, Tabernáculo da Fé, Voz da Verdade, Igreja "Só Jesus" etc.

Grande parte dos falsos ensinos está relacionada às operações, ministérios e manifestações do Espírito Santo. Escrevendo a Timóteo, o apóstolo Paulo falou sobre os desviados da doutrina (2Tm 2.18; 4.4).


terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Jesus Cristo é o Filho do Homem

"Filho do Homem" foi a forma predileta de Jesus ao se
referir a si mesmo. Ele deve ter optado por este termo por não ser um título conhecido das pessoas e por não esta associado a idéias populares  como infelizmente passou a ser associada o nome messias


  • Jesus usou este título de forma genérica, quase como um termo substitutivo ao pronmome eu (Lc. 7.33,34; 9.58).


  • Usou o título para enfatizar que "era necessário que o Filho do Homem sofresse" (Mc. 8.31). A expressão "ser necessário" implica que seu sofrimento havia sido predito pelos profetas (Mc 9.12; 14.21,49).


  • Ele rreferiu a si mesmo com esse título, como aquele que exercia autoridade excepcional - autoridade esta delegada por Deus (Mc 2.10,28; 13.26; 14.26).

Jesus com Filho do Homem, seguiu o padrão estabelecido para "aalguém semelhante a um filho do homem (Dn 7.13). Ele possuía autoridade; sofreu na mãos de seus inimigos e foi vindicado e exaltado por Deus. 

Como filho do homem, conclamou seus discípulos a seguiram-no nesse mesmo padrão de vida. Eles como povo eleito de Deus não receberiam somente a autoridade Divina, mas deveriam também sofrer pelo seu nome e se manterem fiéis ao compromisso com Jesus.
 Para alguns teólologos Jesus parecia evitar o máximo o uso do termo messias, poucas vezes ele falou de si mesmo como sendo ele o messias que havia de vir, como no caso da Mulher samaritana. Por que? Devido a sua tendência política dada pelos judeus. O mesmo no entanto não acontecia com o título Filho do Homem. Aliás, esse parece ser o título que ele preferia usar a respeito de si próprio, só os escritores dos evangelhos sinóticos usaram-no mais de 65 vezes.