quarta-feira, 9 de maio de 2012

A Trajetória de Israel a sua relação com Cristo e a Igreja





“Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem, e todos passaram pelo mar. E todos foram batizados em Moisés, na nuvem e no mar. E todos comeram de uma mesma comida espiritual. E beberam todos de uma mesma bebida espiritual, porque bebiam da pedra espiritual que os seguia; e a pedra era Cristo. E estas coisas foram-nos feitas em figura...” (1Co. 10.1-4,6a).



A libertação de Israel do Egito Aponta para a Trajetória Vitoriosa do Messias, com a sua Igreja. Como é de conhecimento da maioria dos cristãos o povo se Israel viveu escravizado no Egito por causa de um Faraó que não conheceu a José. E um dia Deus ouviu o clamor do seu povo e se lembrou da promessa que tinha feito aos Patriarcas, então o Senhor libertou-os, levando-os por uma caminha pelo deserto, manifstando o seu poder até Canaã a terra Prometida.

O que muitos não sabem que essa trajetória do povo de Israel do Egito até a terra prometida tipifica a que acontecerá com a Igreja do Senhor. Assim como Deus resgatou o povo de Israel do Egito através de um libertador e os colocou em uma terra que mana leite e mel, Deus fará com a Igreja através de seu Filho, aquém constituiu herdeiro de tudo e por quem também fez mundo, havendo feito nele a remissão dos nossos pecados.







Faraó – Simboliza o Diabo.

O Egito – Simboliza o mundo.


O povo de Israel – Simboliza O crente (Gl. 6.16).


A escravidão no Egito – simboliza período em que nós vivíamos no mundo Segundo a potestade do ar e fazendo os desejos da nossa carne (Ef. 2.1-2,11,12).


Moises – Simboliza o Messias (Dt. 18.15,18,19; Jo 1.45; At. 3.22-23).


A celebração da páscoa – O sacrifício de Cristo, a sua morte expiatória (1Co. 5.7).


A saída dos Israelitas do Egito – Simboliza a nossa libertação, a nossa redenção.


A passagem Pelo mar – O batismo nas águas. (v.1; Gl. 3.27; Rm. 6.3)


Os quarenta anos no deserto – simbolizam o nosso período de peregrinação aqui na terra.


O maná e a água tirada da Pedra – Simboliza a Palavra e o Espírito (Jo 7.38,39; 1Jo. 5.6-8).


A coluna de nuvem de dia e a de fogo à noite – simboliza a nossa proteção (Sl. 121), simboliza também a direção que devemos tomar.

Josué – Simboliza Cristo glorificado.

A entrada em Canaã – Simboliza a nossa entrada na Canaã celestial.



Obs. Por mais que  Deus tivesse sido o libertador daquele povo, Ele não se agradou da maior parte deles, por que eles cobiçaram coisas más (v.6), se tornaram idólatras (v.7), se prostituíram (v.8), tentaram a Deus (V9) e foram murmuradores (v.10), por issso muitos foram abatidos no deserto (v.5), essas coisa foram escritas como sinal dos últimos tempos para que não façamos o mesmo e o mesmo não aconteça conosco. "Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos. Aquele pois que cuida esta em pé, olhe que não caia”(1Co. 10.11,12).



Conclusão:



Na caminhada do Cristão aqui na Terra, ele precisa ter a certeza de que Deus age na sua vida, operando em todo tempo. Se permanecermos naquilo que fomos chamados, e andarmos na direção que o senhor determinou que andássemos, chegaremos a tão esperada Canaã Clestial. Amem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário