sábado, 6 de abril de 2013

CUIDADO com o Ensino da Transubstanciação: O pão e vinho transformados na carne e no sangue de Jesus.



Introdução:

De acordo com a tradição da Igreja Católica, durante a missa, os padres supostamente têm o poder sobrenatural de transformar o pão e o vinho no real e literal corpo e sangue de Jesus Cristo:
"O Concílio de Trento resume a fé católica ao declarar: 'por ter Cristo, nosso Redentor, dito que aquilo que oferecia sob a espécie do pão era verdadeiramente o seu corpo', sempre se teve na Igreja esta convicção, que o santo Concílio declara novamente: pela consagração do pão e do vinho opera-se a mudança de toda a substância do pão na substância do Corpo de Cristo, nosso Senhor, e de toda a substância do vinho na substância do seu Sangue; esta mudança, a Igreja Católica denominou-a com acerto e exatidão de transubstanciação." P. 380, #1376

Esta parte do Catecismo revela que a Igreja Católica ainda adere a esta doutrina, a qual foi definida no Concílio de Trento.
"Encontram-se no cerne da celebração da Eucaristia o pão e vinho, os quais, pelas palavras de Cristo e pela invocação do Espírito Santo, se tornam o Corpo e o Sangue de Cristo." P. 367, #1333
O Catecismo também especifica quando Cristo entra na Eucaristia e quanto tempo ele permanece:" P.380, #1377"


Desde que o Catolicismo ensina seus membros a tomar parte em literal a participarem de uma mesa em que se come carne e se bebe sangue, os levam a prática do canibalismo, por isso esta doutrina exige sério exame. 

1. Para começar devemos examinar a origem desta doutrina. Ela é de Deus ou é tradição de homens?

O Catolicismo insiste em que ela é escriturística, citando as palavras de Jesus em João 6: 

"Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue, não tendes a vida em vós mesmos. Quem comer a minha carne e beber o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia." João 6:53-54

Embora estes versos pareçam dar margem para essa prática doutrinária ou até mesmo ensinar o canibalismo, se você ler a passagem inteira no contexto em que ela esta inserido, a significação torna-se clara. 

O próprio texto nos diz que O Senhor queria dizer com aquilas palavras. Antes de Jesus fazer esta declaração, Ele disse:

"Porque o pão de Deus é o que desce do céu e dá vida ao mundo. Então lhe disseram: Senhor, dá-nos sempre desse pão. Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome e o que crê em mim jamais terá sede." João 6:33-35

Entenderam o texto agora meu amados irmão? Comer a carne de Jesus é ir até a Ele é recebe-lo como seu Senhor e salvador, e beber o seu sangue é crer Nele em todo tempo, quem assim faz nunca mais terá fome por que foi até Ele se alimenta da sua palavra, e nunca mais terá sede, por que vai berber da água que Ele der e o seu ventre se transformara em uma fonte de água vivas, por que recebera da parte do Pai O Espírito que Jesus enviará (Leia João cap. 1; 4; 7; 14).

2. No que consiste o ensino do cap. 6:

Este ensino do cap 6 é o cerne, ou esta no centro do ensinamento que João queria passar  com o evangelho que escreveu, por que eu afirmo isso, visto que partir do cap 13 há uma mudança geográfica no que João escreve Jesus deixa de ensinar ao povo e só ensina para os seus discípulos pelo menos é assim que João escreve. 

A vida eterna vem através da crença em Jesus Cristo, não comendo o seu corpo. O Senhor prossegue esclarecendo mais:

"De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna..." João 6:40

Novamente Jesus mostra que a vida eterna vem através da crença nele. Quando os discípulos do Senhor murmuraram sobre estas palavras, Jesus explicou:


"O Espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que vos tenho dito são espírito e são vida." João 6:63

3. Deus proíbe tal prática:

Jesus estava falando espiritualmente, não fisicamente. Ele estava
explicando que espiritualmente toda vida vem através da fé nele, não comendo o seu corpo. Em nenhum lugar na Bíblia Deus endossa o canibalismo. De fato Deus proíbe esta prática:

"Carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comerás." Gênesis 9:4

"...Nenhuma alma de entre vós comerá sangue, nem o estrangeiro que peregrina entre vós o comerá." Levíticos 17:12

Deus jamais ordenaria seu povo a fazer uma coisa que ele houvesse
proibido. O propósito Bíblico As instruções de Paulo na 1 Coríntios 11 lançam ainda mais luz sobre este assunto:


"Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim. Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim." 1 Coríntios 11:23-24


 
3. Sobre o que Jesus se referia quando disse "Toma e coma" e "ma e beba":

Quando Jesus disse: "Tome, coma; este é o meu corpo", ele não estava sugerindo que eles corressem e começassem a comer seu corpo literal. Até sugerir isto é ridículo. Ele estava falando espiritualmente sobre o que ele estaria realizando na cruz.
Note como este verso termina "...fazei isto em memória de mim".
Considerando que a Ceia do Senhor é uma recordação da obra de Cristo no Calvário, não uma renovação. O mesmo acontece com o sangue de Cristo:


"Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim." 1 Coríntios 11:25

O próprio Jesus ensinou a mesma lição aos seus discípulos na Última Ceia:

"E (Jesus), tomando o pão, tendo dado graças, o partiu e lhes deu, dizendo: Isto é o meu corpo oferecido por vós; fazei isto em memória de mim." Lucas 22:19

Obs. O pão e o vinho poderiam ser símbolos de Jesus de Jesus sem come-los e sem bebe-los, mas o berber e o comer completam a simbologia do sacrifício de Cristo:O Pão e o vinho quando nos é entregue, faz memória de que Cristo se entregou por nós, mas quando comemos o pão e bebemos o vinho isso simboliza como ele se entregou por nós, o mastigar demonstra que ele foi moído por nossas transgressões,e o berbe demonstra que ele derramou o seu sangue por nós.


Conclusão:

Mas uma vez afirmamos que a transubstanciação é outra tradição Católica sem base bíblica, para que uma pessoas possa interpretar o evangelho de João, precisa no mínimo fazer as seguintes considerações: João apresenta Jesus como Deus para um povo crente desesperado por uma palavra de consolo, por causa das perseguições que sofriam,e alem disso ele desenvolve a maioria dos assuntos registrado por ele no seguinte aspecto:

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.  João 1:1-5Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;  João 1:10-12

Nenhum comentário:

Postar um comentário