sexta-feira, 2 de maio de 2014

A Principal Base Estrutural do Cristianismo:



A estrutura do Cristianismo repousa sobre três inegáveis fatos: Cristo morreu, ressuscitou e voltará para buscar a sua Igreja. A doutrina da ressurreição dos mortos se baseia na ressurreição de Jesus.


Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,
E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.
Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.
Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.
E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo

1 Coríntios 15:3-8
 Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e que foi visto por Cefas e depois pelos doze. Depois, foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também. Depois, foi visto por Tiago, depois, por todos os apóstolos e, por derradeiro de todos, me apareceu também a mim, como a um abortivo.
(1Co. 3.3-7)

Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos, e assim haveis crido. Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dos mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? E, se não há ressurreição de mortos, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé. E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus, pois testificamos de Deus, que ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não ressuscitam. Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados. E também os que dormiram em Cristo estão perdidos. Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.
(1Co. 15.11-19).

Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,
E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.
Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.
Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.
E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo.

1 Coríntios 15:3-8
Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,
E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.
Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.
Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.
E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo.

1 Coríntios 15:3-8
Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,
E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.
Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.
Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.
E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo

1 Coríntios 15:3-8

 
A ressurreição de Cristo é o maior milagre do Universo, por isso era o tema central da pregação da Igreja Primitiva sendo à base da fé e da esperança do cristianismo.

Então, ou seja eu ou sejam eles, assim pregamos, e assim haveis crido. Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dos mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos?


Aressurreição de Cristo, tornou possível  ressurreição dos mortos, e este ato realizado por Ele será a vitória cabal sobre o pecado e sobrea morte.


Porque convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés. Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte. (1Co 15:25,26).

Quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. (1Co 15:54-57)



Foi dito em certo lugar: "Mostra-nos que a ressurreição de Cristo não ocorreu e esta pessoa se verá livre do Cristianismo."




A ressurreição de Cristo é a garantia da nossa justificação.

Porque, se os mortos não ressuscitam, também Cristo não ressuscitou.  E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.  E também os que dormiram em Cristo estão perdidos.  Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. (1Co. 16-19)

 Leia também: (Rm. 5.18,19) (Rm. 4.25)

Conclusão:



Quando Cristo nos redimiu, Ele não redimiu apenas a mossa alma e espírito, mas inteiramente como pessoa, corpo alma e espírito, ou seja, todo o nosso ser.
A ressurreição de Cristo é o maior milagre do universo, e era o tema central da pregação da igreja, por que ela é a base da fé e da esperança do Cristianismo. A estrutura do Cristianismo repousa sobre três inigualáveis fatos: “Cristo morreu”, “ressuscitou ao terceiro dia” e “voltará para buscar a sua Igreja e estabelecer o seu Reino”. E a doutrina da ressurreição dos mortos baseia-se na ressurreição de Cristo.

http://centralizadosemcristo.blogspot.com.br/p/contribua.html








Nenhum comentário:

Postar um comentário