terça-feira, 31 de julho de 2012

O Domínio Próprio.




Introdução:

O Senhor nos chamou para vivermos em novidade de vida, tendo autocontrole de todas as nossas ações, para que não vivêssemos mais como vivem os gentios dominados e levados por suas paixões. “Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus.” 1 Tessalonicenses 4:5.
• Devemos buscar viver com o controle total da nossa vida, visto que depois que aceitamos a Cristo como Senhor e Salvador e através da palavra da verdade, fomos libertos do domínio do pecado “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará... Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” João 8:32. E transformados em uma nova criatura “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” 2 Coríntios 5:17.
• Todo homem que não contem os seus desejos e as suas paixões é totalmente vulnerável, é como uma cidade derribada que não tem muro “Como a cidade derrubada, sem muro, assim é o homem que não pode conter o seu espírito” Provérbios 25:28. Totalmente livres para saqueadores, ou seja para investidas de demônios “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância.” João 10:10.

1. O exemplo de Sansão:

Sansão foi um homem com um poder extraordinário, em nenhum outro personagem bíblico foi manifestado um poder físico como na vida de Sansão, através da unção divina ele realizou diversas proezas, porém Sansão tinha áreas vulneráveis ao pecado, e não levou isso a sério.

Assim somos nós, temos a unção do Espírito-Santo na nossa vida, e através dessa unção nós pregamos, profetizamos, expulsamos demônios, e fazemos muitas maravilhas, porém se não levarmos a sério as nossas limitação e fraqueza, buscando conquistar a nós mesmo, através do autocontrole, seremos derrotados pelos inimigos da nossa alma, assim como Sansão foi derrotado pelos seus inimigos.

A nossa maior vitória é ir morar com Cristo na Glória, e muitos tem achado que poder é um sinal de santidade, só que é o auto controle que é a garantia de que nós vamos ser levados por Cristo naquele grande dia (Mt. 7.21-23).

2. O que envolve o domínio próprio:

Existem áreas de nossa vida que requer uma maior atenção quanto ao domínio próprio, este domínio não está apenas relacionado ao apetite sexual (ainda que esta seja a maior de todas), só que existem muitas outras áreas que devem ser observadas.

2.1. Domínio do apetite.

Glutonaria, no original grego significa um cortejo festivo em honra ao deus pagão do vinho "Dionísio", onde era feito um grande banquete festivo onde tudo terminava em um descontrole total, perda de domínio.
 Por isso que biblicamente "glutonaria" se refere a todo apetite e consumo desordenado, mas esse termo era e é usado principalmente com relação à comida.
Nós devemos comer e consumir para viver, e não viver para comer e consumir, quando uma pessoa consome e come além do necessário ela esta praticando a glutonaria e destruindo a se mesmo, ao seu corpo (1Co. 6. 19).
Não podemos nos esquecer de que existem várias formas de se cometer suicídio, e a glutonaria é uma delas. Se os cristãos levassem a sério o fruto do espírito sobre todos os aspectos, muitos tratamentos inclusive cirurgias não seriam necessários.

2.2. Domínio do temperamento.

Esta talvez seja a mais difícil das virtudes, principalmente para os homens.
Quando não há controle de temperamento a pessoa se torna antissocial, tendo dificuldade de se relacionar socialmente com outras pessoas e isso compromete todas as outras área da sua vida, até mesmo o ministério.

Aqueles que permitem a ação do Espírito na sua vida, o transformando em uma nova criatura, será uma pessoa controladora  o seu temperamento, terá o caráter de Cristo e será uma pessoa melhor e terá longos dias sobre a face da terra (Pv. 16.32; Mt. 5.5).

Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso, e o que controla o seu ânimo do que aquele que toma uma cidade.  Provérbios 16:32

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;   Mateus 5:5

2.3. O domínio da língua.

Uma coisa é certa quem não domina o seu temperamento também não domina a sua língua, por que ela relata o que você é, o que o seu coração estar cheio. “Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.”  Mateus 12:34.

A língua pede ser um instrumento usado pelo diabo como um gerador de vida ou de morte “A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto”  Provérbios 18:21.
Não é a toa que a bíblia compara a língua com uma navalha afiada (Sl. 52.2) e flecha mortífera (Jr. 9.8).

 Obs. Em nenhum momento Deus esta se referindo nesse texto acerca de "palavra de maldição", com tendo poder para fazer acontecer o que foi proferido, mais sim a respeito daqueles que fazem mau uso da palavra e para aqueles que absorvem o que ouvem daqueles que maldizem, sofrerão por isso.
Devemos fazer como o nosso Mestre, rejeitar esse tipo de palavra.

E Pedro, tomando-o de parte, começou a repreendê-lo, dizendo: Senhor tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso. Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens. Mateus 16:22-23

Porem aqueles que fazem bom uso da língua, usando ela disciplinadamente, se torna uma pessoa cada vez melhor, tendo o domínio de tudo na sua vida (Tg. 3.2), e ainda comerá dos frutos bons que ela produz. “... aquele que a ama comerá do seu fruto”  Provérbios 18:21.


2.4. Domínio das finanças.

• Umas das maiores causas de brigas e separação entre os casais é causada pela área financeira, por isso devemos exercer o autocontrole e sermos bons administradores do que possuímos, para que o Senhor nos confie coisas maiores (Mt. 25.21).

Há pessoas que são muito inteligentes, para muitas coisas na sua vida, porém não são boas administradoras das suas finanças, todo bom administrador tem visão, sabe planejar, é determinado, conhece as prioridades, é generoso e tem autocontrole.

2.5. Domínio do pensamento.

As ações são resultado daquilo que se pensa, de certa forma a pessoa é fruto de seu pensamento.
O pecado antes de ser consumado ele deve ser gerado no coração, e esta fecundação ocorre no pensamento “Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” Tiago 1:14-15.

Se os pensamentos forem controlados, as pessoas não atuarão com base no que esta sentindo, mas com base em princípios éticos e cristãos.


3. Outras coisas que devem ser dominadas pelo cristão.

São males que minam e enfraquecem a vida cristã e o ceio da igreja, se não forem combatidos de imediato.

Maldade: trata–se aqui de toda e qualquer prática má, e de atividade degradante (Rm. 1.29; 1Co. 5.8; 14.20).
Dolo: isto tem a ver com engano, falsidade maliciosidade, má fé, ludibrio, esperteza negativa e destrutiva que esconde o motivo indigno que procura alcançar, ou em um sentido mais negativo traição. (Jo. 1.47; Rm. 1.29; At. 13.10; 1Ts. 2.3; 1Pe. 1.22; 3
10).
Inveja: Este é outro pecado contra o próximo, mas que seus efeitos danificam em grande escala a alma do próprio invejoso. Tal pessoa quando vê alguém prosperar fica triste e chega até a amargura, depreciando sua própria capacidade, prosperidade e realizações (Gl. 5.21; Rm. 1.29; 1Tm. 6.15).
Maledicência: são toas às formas de mal dizer, que pode ser abordagem maldosa da vida alheia, falar mal de alguém baixinho com outra pessoa, ou consigo mesmo, veja a expressão desse texto "... todas as murmurações”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário