sábado, 22 de dezembro de 2012

Certeza Ofende Mundo Incerto!









O pano de fundo contra o qual vivemos é de muitas incertezas. A vida é uma coisa incerta e vivida num mundo incerto. A saúde é algo tênue, a vida é algo tênue... Por causa disso, vivemos basicamente cercado de pessoas que estão incertas sobre quase tudo. A incerteza tem se transformado até mesmo numa “virtude” que muitos cristãos adoram ostentar para serem vistos como mais descolados e antenados para essa geração. O homem adorou colocar toda sua incerteza no campo moral. Se não existe certeza, se não há verdade absoluta, cada um vive como quer...


O problema é que a Bíblia é uma revelação divina cheia de certezas absolutas. Só essa afirmação já é ofensiva ao mundo, e tentando ser “relevante”, você vê toda hora, mesmo líderes, dizendo que tudo não passa de pontos de vista. Ou seja, esqueça verdades absolutas. O mundo gosta, o mundo acha “relevante”, pelo razão óbvia, ao tornar a Palavra de Deus “irrelevante,” você se torna relevante para o mundo. Incerteza virou algo belo, já o dogmático virou anacrônico. O mundo aplaude quando você diz que “todo ponto de vista é a vista de um ponto” – porque um mundo que jaz no maligno adora a negação de absolutos morais.

Mas a Bíblia fala de certezas absolutas, que só de serem certezas, passam ser “irrelevantes” para homens que se fizeram “deuses” de si mesmos e tem o ego como o julgador do que lhe é conveniente.
Podíamos citar milhares de certezas absolutas no todo absoluto da Verdade de Deus. Por exemplo:


“...e sabei que o vosso pecado vos há de achar.” - Números 32:23 – Isso é uma certeza, quer os homens, a cultura de nossos dias, goste ou não.


“A lei do SENHOR é perfeita,” - Salmos 19:7 Não há erros nela, todas as suas afirmações expressam a Verdade – e não porque cremos nela – é Verdade quer creiamos ou não.


“Porque o salário do pecado é a morte...” – Romanos 6.23 – Não há como escapar, olhemos os cemitérios em cada cidade – certezas absolutas – é sobre isso que a Bíblia fala.


Mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” -  Romanos 6:23 – É certo que a salvação é um dom, não dívida. Ou seja, Deus não deve ela a NINGUÉM. Não está sob nenhuma obrigação: “Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.” Romanos 9:15,16 – Verdade absoluta! Não há nenhum ato humano, caridoso, sacrificial... que o tire do time dos que devem receber o salário do pecado.


“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;” Romanos 3:23  Ou seja, quando falamos em justiça – todos merecem e devem morrer – Só por misericórdia um homem pode ser salvo, algo que por definição, não é devida a ninguém, e Deus a manifesta como quer... sem obrigação alguma, por isso é misericórdia. É isso, é verdade absoluta!


“Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus.” - Romanos 3:10-11 – Absolutos! Não há NINGUÉM ( que Deus não tenha regenerado soberanamente) que possa ser colocado na categoria de buscadores de Deus, de justos... para poderem reivindicar justiça, ou, sobre qualquer assunto, dizer que Deus deva algo a ele. Isto é certo, é absoluto... e quanto mais absoluto, mais ofensivo é para a mente natural, mas some da pregação que gosta de afirmar que “todo ponto de vista é a vista de um ponto”. 

Nós poderíamos continuar no artigo sem fim mostrando: Certezas! Nós lidamos com certezas em um mundo incerto. E isso, é claro, é um problema para o nosso mundo incerto e para aqueles para os quais o objetivo é serem vistos como relevantes por ele, um mundo que jaz no maligno e uma cultura formada por homens cuja mente, diz Paulo, é “inimizade contra Deus”. 

As certezas são uma ofensa em nossa era porque elas afirmam que Deus é Deus e você não é. É uma ofensa para as pessoas dizer que ao proclamar  a Verdade bíblica você está certo sobre tudo. É uma postura que para o mundo é intolerante. Por isso, muitos que dizem“amar o evangelho”, são até pregadores, adoram falar que tudo é incerto.

Quer gostemos ou não, quer nossa geração e cultura goste ou não, a Bíblia é um livro de verdades absolutas, é um livro de certezas. Ela é a verdade absoluta. Estamos certos de como tudo começou e certos de como tudo vai acabar. Certos de que Deus criou tudo para o seu propósito e que esse propósito se consumará como seu Decreto eterno determinou:“Que anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho será firme, e farei toda a minha vontade.”-  Isaías 46:10






Certezas – estamos certos do porque as pessoas se comportam como se comportam, do porque a sociedade é como ela é, porque a cultura é como é. Estamos certos de como é impossível esse mundo, cultura... se auto-reformar... estamos certos:

“Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador... Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm; Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia...” Romanos 1:21-31  CERTEZAS!! 

Certezas! Estamos certos! Estamos certos sobre o que é certo e o que é errado. Estamos certos sobre os elementos que de fato poderiam construir relações humanas corretas. Estamos certos sobre o que é necessário para que o homem seja salvo. Estamos certos de que há um inferno e certos de que as pessoas ficam lá para sempre. Estamos certos sobre todas essas coisas. Estamos certos sobre as promessas de Deus, certos sobre o Seu Filho como único que pode redimir o homem. Certos sobre a Sua morte vicária. Certos sobre sua ressurreição literal. Certos sobre sua segunda vinda... Estamos certos sobre todas essas coisas. Não! Não proclamamos que isso é só a “vista de um ponto”. Estamos certos, absolutamente certos.

Agora, é óbvio que isso jamais será algo que nossa cultura, sociedade, aceitará... vivemos num mundo que se auto-justifica e racionaliza sua maldade com a fantasia de que não há absolutos. Mas alguém que diz ser salvo e vive com essas características em sua vida, é pior do que o mundo, e se é pregador, pastor... é pior ainda. Filhos de Deus são únicos em um mundo de céticos. Num mundo de céticos segundo suas conveniências nascidas de seu amor ao pecado.

Fonte: Josemar Bessa

Nenhum comentário:

Postar um comentário