domingo, 2 de dezembro de 2012

A Humilhação de Cristo (Fp. 2. 1-18)




 Introdução:

A Igreja de Felipo enfrentava um problema de orgulho por parte de alguns membros, muito não queriam se dar pelos outros querendo ser o centro das atenções e reinar sobre os outros. Aquele povo  se orgulhava da sua cidadania romana, mas o que o apóstolo Paulo vai esta demonstrando é que eles deveria ser orgulhar era de fazerem parte do Reino de deus, de serem cidadãos do Céus, de terem isso demonstrado com o comportamento semelhante ao de Cristo.

1.    O Problema enfrentado por Paulo na Igreja de Felipo:

A Igreja de Felipo provavelmente tinha partidarismo, ciúmes e diferenças entre os irmãos (2-4).
Rogo a Evódia, e rogo a Síntique, que sintam o mesmo no Senhor.
Filipenses 4:2
Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará. Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo.
Filipenses 3:15-16

Este não era um problema novo O Apóstolo Paulo já havia enfrentado isso com as outras igrejas, e até o Senhor Jesus enfrentou isso com os seus discípulos. Paulo falou sobre isso:
·       Na igreja de Roma: Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.  Romanos 12:10
·       Na Igreja em Coríntios: Ninguém busque o proveito próprio; antes cada um o que é de outrem.  1 Coríntios 10:24
·       Na Igreja dos Gálatas: Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros.  Gálatas 5:26
·       Na Igreja em Éfeso: Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz.  Efésios 4:1-3

Jesus enfrentou isso com os seus discípulos por várias vezes : Então Jesus, chamando-os para junto de si, disse: Bem sabeis que pelos príncipes dos gentios são estes dominados, e que os grandes exercem autoridade sobre eles. Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal;  E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;  Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.  Mateus 20:25-28

O que vemos hoje em dia é um irmão querendo ser melhor do que os outros, querendo demonstrar que é melhor do que os outros, Igrejas querendo demonstrar que é melhor do que a outra, que Deus esta aqui, que eu tenho as visão de Deus etc. “humilhai-vos”

1.1.         Jesus um exemplo tomado por Paulo de Humildade:

Paulo expõe o exemplo de Cristo para convocar os cristãos do sentimento Altruísta, de olharmos para além de nossos interesses.  
O apostolo Paulo apresenta três exemplos de homens cujo  principio de vida é um exemplo para os outros, o interessante é que neste ponto o apóstolo Paulo não menciona a se mesmo, como sempre faz, e aparece que é proposital, para mostrar o quanto que ele era humilde, o mais tarde volta a dizer de se mesmo.
Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.  Filipenses 3:17
O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco.  Filipenses 4:9

Paulo apresenta três exemplo de humildade:
·        Cristo (2.5-16).
·        Timóteo (2.17-24).
·        Epafrodito (2.17-24).

2.    Cristo o maior Exemplo de Humildade que existe:
Da mesma maneira que Jesus tomou um caminho para humilhação depois ele pega o mesmo caminho inverso para Exaltação.

2.1.         Caminho da Humilhação:
O nosso Deus é Trino: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito santo.
E é um Deus incognoscível, isso faz parte de seus atributos incomunicáveis como: Infinitude e Imensidão, quando se trata de tudo em relação a Deus, ele é infinitamente incomparável, até mesmo o seu ser e a sua existência, por isso jamais poderá esquadrinha-lo como Ele é realmente em essência e glória.
A grandeza de Deus ultrapassa os limites do raciocínio humano. Ele transcende tudo que é matéria, tudo que é finito e todo o universo. Deus abrange tudo que existe.
Deus que fez o mundo e tudo que nele há, sendo Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens; Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas; E de um só sangue fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação; Para que buscassem ao Senhor, se porventura, tateando, o pudessem achar; ainda que não esteja longe de cada um de nós; Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.
Atos 17:24-28

O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;  Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele
Colossenses 1:15-17

O deus revelado nas escrituras é pessoal, transcendente e imanente. Deus não pertence a esta criação e transcende a tudo o que foi Criado, inclusive todo universo. E Jesus que:

“... sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus...”
Apoderar-se astuciosa ou violentamente de uma coisa de que alguém legitimamente usufruiu ou que lhe pertence; alcançar sem direito; adquirir por fraude
“Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo...”
Kenosis (ke/nwse - ekénose, ekenõsen) é um conceito na teologia cristã que trata do esvaziamento da vontade própria de uma pessoa e a aceitação do desejo divino de Deus.  É encontrado no novo testamento como o esvaziamento de Jesus.
Na doutrina da Trindade esta relacionado a sua divindade, mas precisamente ao deixar de lado seus atributos divinos sem perder sua natureza divina. Jesus deixa de depender de seu poder divino para depender do Espírito Santo.Kenótica à kenosis, doutrina do esvaziamento do logos divino. Na “Teologia precisamente na matéria da Cristologia é conhecida como ‘A DOUTRINA DO ESVAZIAMENTO DE JESUS CRISTO”.

“... fazendo-se semelhante aos homens;
Mas Ele não ficou como um servo celestial ele se fez semelhantes aos homens, passou a ser da mesma espécie, qualidade, natureza ou forma que os homens; se tornou parecido, próximo, similar, quase igual: produtos semelhantes.
O que Cristo fez foi se esvaziar dos seus atributo divinos tais como; transcendência, onisciência, onipotência, onipresença, sua total Glória e esplendor tomando outra forma.
·      Ele que é o criador (isso através de sua substância-Deidade, logos-divino), torna-se "semelhante as criaturas"(forma sintética, pois a divindade não possui forma alguma).
·      Antes que era ilimitado (infinito em sabedoria, substancia e poder), torna-se limitado.
·      Antes vivia em sua transcendência (em si mesmo na forma das três pessoas da trindade) agora sujeita-se ao tempo e ao espaço (criação).
·       Antes Ele que era O Todo Poderoso, torna-se um humilde servo (criatura) como é retratado no Evangelho de Marcos.
“... E, achado na forma de homem...”
Que já foi uma humilçação sem igual, vou Le mostrar por que neste vídeo.
humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.   Filipenses 2:6-8

3.    Caminho da exaltação:
Jesus por te se humilhado tanto foi tremendamente exaltado, tomando o caminho inverso da sua humilhação.
“Por isso, também Deus o exaltou soberanamente...”
Entendeu o que o texto disse foi por isso que deus o exaltou, por que Ele se humilhou como nenhum outro. Exaltar é libertar da antiga dependência, é tornar alto engrandecer é tonar célebre.
 “... e lhe deu um nome que é sobre todo o nome...”

Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,

E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.
Filipenses 2:9-11

·       A experiência de cristo mostra que a humilhação sempre se segue para a exaltação de Deus.
Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte;  1 Pedro 5:6
Antes, ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Senti as vossas misérias, e lamentai e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará. Tiago 4:6,9-10

Jesus contou uma parábola, que foi intitulada como: Parábola dos primeiros acentos dos convidados; quando ele foi convidado por um principal da sinagoga para comer pão em sua casa, ao ver como as pessoas corriam para pegarem os primeiros acentos ele falou “Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.
Lucas 14:11.
Jesus também contou uma parábola para aqueles que se achavam justo em se mesmo. Esta parábola foi intitulada como a parábola do fariseu e do Publicando, e terminou a parábola dizendo. “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.
Lucas 18:14

3.1.         Jesus deixou claramente que nós devemos ser humilde como uma Criamcinha (Mt. 18.4)
A Criança depende do Pai para tudo: para comer, beber, se vestir a calçar, pra ter um lugar para morar. Para andar segura por onde ele não conhece, para obter conhecimento, para lhe proteger dos inimigos etc., mas acida de tudo para Criança o seu pai é um herói.

Tem gente que não depende de deus, tem outros que acham que deus deve fazer duto e que Ele não deve passar por nada, o equilíbrio é tudo, mas uma coisa é certa seremos exaltado ou nessa vida ou na outra.

Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.
Romanos 8:18
Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia.   Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente;  Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.
2 Coríntios 4:16-18

Conclusão:
 Este texto na verdade é um hino de exaltação a Cristo, provavelmente ele fazia parte do culto na Igreja Primitiva, como outros cânticos também (1Tm. 1.17; 3.16; Rm. 11.33-36; 8.31-39; Hb. 1.1-14) etc.


Nenhum comentário:

Postar um comentário