quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Diácono, Para o que foram Consagrados.




Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano. E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra. E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Parmenas e Nicolau, prosélito de Antioquia;  E os apresentaram ante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos. E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé. (Atos 6.1-70)


Introdução.

A igreja cresceu assustadoramente: Foram três mil que creram por ocasião do pentecoste (2.41), depois o número de Crente crescia diariamente (2.47), a seguir o número dos irmãos passaram para mais de cinco mil (At. 4.4), e esse número multiplicava cada vez mais (6.1,7).
Então não demorou muito para aparecer os problemas, logo começaram as perseguições e prisões, mas Deus deu livramento, foram levados perante o tribunal judeu, mas o Espírito dando sabedoria,  lhes enchendo a boca e os livrou.
Mas também não demorou muito para começar os problemas interno. No capítulo 5 esta registrado o lamentável casa de Ananias e safira, em que O Espírito Santo revelou a hipocrisia do coração daquele casal purificando a Igreja. No entanto a murmuração e a contenda no meio da igreja entre os irmãos por  causa do partir do pão,  exigiu dos líderes uma organização e delegação.

Obs. A maior prova da operação do Espírito na vida da Igreja, foi o fato de Eles terem tudo em comum e o partir do pão diariamente de casa em casa, e foi justamente essas coisas que geraram as confusões na igreja. Pense nisso!

1. Exigência para ser Diácono:

Diácono (serviçal - ofício ministerial).
• Seja idóneo.
• Cheio do Espírito Santo.
• E de sabedoria (Não significa conhecimento especificamente).
Sabedoria do grego "Sophia", que significa por em prática, prudencia, habilidade, discernimento compreensivo, esclarecimento cristão. Se refere aquele que sabe fazer a aplicação correta do conhecimento, é o discernimento em relação a verdadeira natureza das coisas.

Obs. Nas Escrituras Sagradas vemos a sabedoria normalmente ligada ao conhecimento (Rm. 11.33; 1Co. 12.8; Cl. 2.8).
Sabedoria é o conhecimento colocado em ação, é por isso que Jesus Cristo é a manifestação do poder de Deus, mas também Ele é a sabedoria de Deus (1Co. 1.).
A palavra de Deus, nos recomenda a pedirmos a Ele sabedoria (Tg. 1.5), nunca se esquecendo que o temor do Senhor é o princípio sabedoria.
• Ser sábio era uma exigência feita pelos apóstolos aqueles que seriam escolhidos para serem diáconos, já que existem muitos diáconos que foram consagrados e sem essa preocupação, esses obreiros da casa do Senhor deveriam buscar o conhecimento e ser cheio do Espírito Santo, para se enquadrar nesta exigência Bíblica, ou então não ser mais Diácono.

1.1. Outras exigências feitas pelos apóstolos para ser um diácono (1Tm. 3.8-14).

2. Como um Diácono deveria ser escolhido (v.2,3).

A. Os lideres deveriam dizer os requisitos (que já mencionamos acima para ser um diácono), e passar isso para igreja.
B. O povo escolheria entre eles quem seria esse irmão (a), que se encaixaria nesses requisitos.
C. E os lideres  orando os aprovariam temporariamente
D. O irmão escolhido passaria por um período de observação, ai seriam aprovados definitivamente (1Tm. 3. 3.14).

Obs. O diácono hoje como não é escolhido pelo povo, mas diretamente pelos lideres ou por indicação, eles pelo menos deveriam ser pessoas que queiram ser aceitas pelo povo e buscar isso, por que é diretamente com eles que o diácono vai trabalhar, e é para isso que ele é separado.

3. Questões sobre ordenação das mulheres e de obreiros.

3.1. Ordenação de obreiros.

A palavra de Deus não fala acerca de ordenação de obreiros, as igrejas que assim fazem, o fazem por conta própria sem considerar o que o texto realmente diz
O que a palavra de Deus diz na carta que o apóstolo Paulo escreveu para Timóteo, que era Presbítero (Bispo da Igreja), era para que ele se apresentasse como um obreiro aprovado (1Tm. 2.15). Porém a palavra de Deus diz que o diácono deve ser primeiro provado e depois sirva, se for aprovado (1Tm. 3.10).

Obs. Vou dar o meu parecer: a consagração de obreiro deveria ser feita como uma forma de provação, para a consagração ao diaconato, ou então acaba com esse cargo nas igrejas. A pessoa esta á mais de um ano como obreiro e não foi consagrado a diácono.

São muitos cargos existentes nas igrejas hoje em dia, que só servem para criar disputa no ceio da igreja: obreiros, diáconos, presbíteros, evangelistas, pastores, sem contar os apóstolos auto-nomeados, e agora tem até unção de querubim.

É por isso que existe tanta confusão no corpo ministerial das igrejas, ao ponto de ser a parte mais problemática para os pastores. E ainda tem os músicos que são consagrados a obreiros, diácono e até a pastores e não querem fazer nada mais além do que tocar. (Como é isso pastor que não pastoreia rebanho?). Fazendo com isso que os outros oficiais da igreja se irritem com a atitude deles, que só querem tocar e ainda  receber um tratamento especial por fazerem isso, o que na maioria eles querem mesmo é serem tratados como artistas.
E uma pergunta fica no ar: Por que não consagra-los somente como "ministro de louvor"? (2Co. 8.18). Os músicos devem servir como obreiro, ou então sejam só músico, por que o homem de Deus deve está preparado para toda boa obra.

Sendo queridos irmãos, que na igreja bastava apenas ter os seguintes cargos:  "diácono", "pastor" e "bispo" (ancião ou presbítero).
E mais os ministérios de "evangelista" (um pescador de almas), "profeta" (pregador da palavra) e "mestre" (professor, ensinador doutrinário), esses irmãos possuem um ministério extremamente importante na igreja para sua edificação e o aperfeiçoamento dos santos, porém eles não tem a autoridade que tem o presbítero, o pastor e o diácono, por não exercerem um ofício ministerial.
O que falar do fato de pegar pessoas usadas com dons espirituais e dar a elas cargos na igreja, ou consagra-las ao ministério [isso é de uma ignorância bíblica, fora do normal]. 
Queridos irmãos não existe "ministério de cura" o que existe e don de cura, não existe ministério profético, a não ser que o irmão seja um pregador da palavra, o que existe é o don de profetizara, a pessoa é usada em dons e diz que é ministério. Precisamos voltar para as escrituras sobre o que ela diz.

3.2. Ordenação de mulheres.

Pelo fato do apóstolo Paulo ter dito acerca das mulheres quando passava recomendações aos diáconos (1Tm. 3.11), muitos reconhecem esse texto como sendo uma referencia as mulheres que eram consagradas a diaconisa. No entanto não temos nenhuma referencia bíblica para ordenação de pastoras, ainda que  no livro de Atos fazem menção de duas mulheres que se destacaram no período de expansão e implantações de igrejas, e também de uma senhora que teve uma carta Endereçada para a igreja que era em sua casa, mas nenhuma dessas referências nos dar respaldo para consagração de pastoras.


Um cargo muito comum entre as mulheres evangélicas é o de "missionária", como a igreja ou ela mesmo quer se dar o cargo parecido o de pastora e não pode, inventaram o de missionária.
Missionário é a tradução para o latim do termo grego apostolo, se a pessoa quer receber ou aceita este cargo, por que é uma evangelizadora, deveriam então serem consagradas a evangelista.

Obs. Não podemos deixar de salientar o fato de que temos muitas mulheres que exercem com grande maestria a função de apascentar um rebanho, sendo grandes cooperadoras da obra do Senhor.
Quando é feito a primeira menção de Priscila no livro de Atos, acerca da igreja que estava em sua casa, o nome dela é mencionado depois do seu marido Àquila, mas no decorrer das escrituras o que vemos e o nome dela esta quase sempre sendo mencionado primeiro, o que nos mostra que provavelmente ela tenha se destacado mais que o seu marido no ministério, mas é una exceção e não uma regra.

4. Para que os diáconos foram consagrados.

De acordo com o texto que lemos inicialmente os diáconos foram chamados para:

• Para serem de pacificadores no meio do povo.
• Para servir.
• Para cuidarem das necessidades materiais do povo de Deus
• Para cuidarem da Igreja.
• Para liberarem os pastores para que eles se dediquem a palavra e a oração.
• Zelar pela atenção do povo para que eles recebam a palavra.

Conclusão:

Se as igrejas permitirem e exigirem que seu pastores sigam Atos 6.4, haveria um verdadeiro crescimento no número de membros da igreja e em força espiritual.
A oração e a palavra devem andar juntas na vida de um ministro do Senhor (Jo. 15.7; Pv. 28.9), vemos isso na vida de Samuel (1Sm. 12.23); do Senhor Jesus Cristo (Mc. 1.35-39) e Paulo (Cl. 1.9,10).










Nenhum comentário:

Postar um comentário