terça-feira, 15 de setembro de 2015

Estratégia de Evangelismo. (Uma palavra rápida)

 O meio evangélico tem sido bastante fértil em produzir o seu próprio sincretismo.


Como bem disse o nossos irmãos ...Pedro e os apóstolos, [quando] disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens (At. 5.29). Respondendo, porém, Pedro e João, lhes disseram: Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus. (At. 4:19)

Como é isso estratégica adulterando os mandamentos bíblicos? A lei de Gerson, em quer os fins justificam os meios? Isso é pragmatismo. Tem mais prazer Deus que se faça sacrifícios do que sejamos fiéis a sua palavra? Bem profetizou Isaías e Jesus disse. ...Este povo honra-me com os lábios, Mas o seu coração está longe de mim;
Em vão, porém, me honram, Ensinando doutrinas que são mandamentos de homens". Marcos 7:6-7. Olhamos para o testemunho que Paulo dar de se mesmo
E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito... 1 Coríntios 4:6a.
Existe uma diferença entre autoridade outorgada e autoridade inerente, sobre isso eu tenho muito o que fala mas o espaço é pouco, mas deixo a palavra do Senhor Jesus somada a do apóstolo Paulo que citei a cima
"...se guardarem a minha palavra, também guardarão a vossa.
João 15:20c.

visto que para muitos, a quantidade de pessoas nos cultos tornou-se o critério para se avaliar o sucesso de um ministério ou de uma igreja.
Aquilo ou aquele que mais atrair o público é tido como bom, sem precisar fazer uma análise crítica. E isso tem levado muitos pastores, líderes e crentes em geral, a abrirem mão dos conceitos e princípios expostos nas Sagradas Escritura, para o uso de novos "métodos" que são supostamente mais "eficazes", ou seja, atraem grandes multidões, e isso é sincretismo, e paganismo dentro da igreja.

A permissão dada oas Irmãos, em Corínto, para que os mesmos comprassem de tudo que se vende no mercado (mesmo o que foram antes sacrificados aos ídolos). E usado como argumento para essas discrepâncias.

1. Os irmãos de Coríntos não tinham nenhum outro lugar para compra carne por que todos os açougues vendiam carne que eram antes sacrificada no templo em culto pagão.
2. O tema abordado por Paulo é paganismo e não sincretismo.
3. Eu tenho a certeza que se a igreja em corinto pegasse a carne que foi sacrificada no templo pagão e fizessem um churrasco na igreja com o intuito de evangelizar como é feito com a festa junina, por exemplo, ele combateria essa prática.

Obs. Na igreja em Corinto havia irmãos participando das festas pagãs e por causa disso estavam escandalizando os irmãos mas fracos, haviam pessoas que não queriam comprar carnes no açougues e nem aceita convite de parentes que não eram convertido,e a abordagem é dentro desse assunto, não tem nada haver com festas culturais abraçada pela igreja com uma roupagem cristã.

Graça e Paz sejam com todos vocês. Amem!

Um comentário: