terça-feira, 24 de julho de 2012

O Joio No Meio do Trigo




Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo; Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se.E, quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio. E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem, então, joio? E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo? Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro
( Mt. 13. 24-30 ).



INTRODUÇÃO:

 Com o crescimento da igreja, surge em nosso meio, os crentes que só possuem aparência, mas no fundo não são seguidores de Cristo, mas o dia da separação está chegando, quando o trigo do Senhor será recolhido para o seu celeiro e o joio do maligno que cresceu entre o trigo será arrancado e lançado nas trevas exteriores, ali haverá pranto e ranger de dentes.

         I.   Identificando os personagens da parábola:

 Pegando um gancho com a parábola do semeador (Mt.13.1-23), o divino mestre descobre a parábola do joio e do trigo, por isso, está é mais uma das parábolas em que o próprio Senhor Jesus dá o significado. (Mt.13. 36-43)

1. Os dois tipos de semente
1.1-    O trigo

 O trigo representa os crentes fieis (Mt. 13. 38;24:25; 25.21;  Ap. 2.10; 17.14), santos (1Pe. 1.15; Hb. 12.14), purificados pelo sangue de Cristo, através da lavagem regeneradora do Espírito Santo (Ap. 7.14; Tt. 3. 5,6)
 A própria parábola nos mostra as características dos fiéis, somos também chamados “boa semente” (v. 24), “erva que cresce e dá fruto” (v. 25), vale salientar que o próprio Senhor Jesus, comparou-se a um grão de trigo (Jo. 12. 24) .

1.2-    O joio (v 2, 5a)

 É uma planta que cresce caracteristicamente em meio as plantações de trigo, e tem um princípio tóxico, que o surge entre o trigo e o contamina, esta plantação só difere do trigo quando está próximo a colheita.
 O joio representa os filhos do maligno (Mt.13:38b), o conceito de “filho do maligno” no antigo testamento, era conhecido como “filho de belial” (1Sm. 2.12).
 Cujos atos eram: Idolatria (Dt. 13.13),  embriagues (1Sm. 1:16), sacrilégio (1Sm. 2:17,22,12), desrespeito as autoridades (1Sm.10.27), falta de hospitalidade (1Sm 25:17) perjúrio (1Rs. 2.10,13) e maledicência (Pv. 6:12)

1.2.1. Os filhos de Belial no período da graça.

 No reino de Deus, aqui na Terra, os filhos de belial “o joio”, fazem todas estas coisas, só o que o diabo usou a cilada da semelhança, para que eles tivessem a aparência de bom e justo de trigo (v. 26,29), vejamos como eles se escondem:

·        Idólatras - não adoram a imagem de escultura, mais a se mesmo, o seu “eu” as suas vontades os seus desejos esta acima de tudo, ou idolatram alguém famoso. (Fp. 3.18,19aa; 1Tm. 6. 5; 2Tm. 3.1,2,6; 2Tm. 3.4b) 

·        Embriaguez - não se embriagam com vinho ou qualquer outra bebida forte, mas com charco de lodo do mundanismo. (Fp. 3.18,19; 2Pe. 2.12-14)

·        Sacrilégio - Profanam os ritos, local, a palavra, pessoas e objetos sagrados. (1Tm. 4.1-3; 1Tm. 6.3; 2Pe. 2.1,2)
·        Desrespeito às autoridades - não obedecem as autoridades, Promovem rebeliões ou divisões na igreja. (1Co. 3.1-3; 1Tm. 6.3-5; 2P. 2.9-11; Jd.8-9)

·        falta de hospitalidade - não acolhem os fracos na fé e são responsáveis pelo enfraquecimento e desvio de muitos. (Rm.14.1,10; 13-23; 2Pe. 2. 17,18; 1Co. 12.22)

·        Perjúrio- prometem e não fazem, juram falsamente. (Tg. 4.12; Mt. 5.33)

·        Maledicência - são maldizentes, ficam pelos cantos da igreja falando mal um do outro. (Tg. 3.8-12, Rm. 12.14)

 Essas pessoas têm a aparência de crentes verdadeiros, sem tirar nem por, e conseguem fazer tudo isso em nosso meio e na maioria das vezes sem serem percebidos e o mais triste  é que eles crescem e assumem altas posições nas igrejas (Mt.13.30a), daí a necessidade de nos últimos tempos a busca pelo dom discernimento de espírito.
 (1 Cor.12: 10c).

1.2.2. O campo:

 O campo representa o mundo (Mt. 13:38a), está é uma afirmação interessante, pois vemos mais uma vez o Senhor afirmar que o mundo quando significa planeta Terra, não pertence ao diabo mas a Deus.
(Lc. 13:6; Sl. 24.1)

2.Os dois semeadores:  (v. 24:25)


2.1- “O homem”

 Este personagem que também é chamado na parábola de “o pai de família”(v.27) representa a Jesus “o filho do homem”(vs. 37,41)

2.2- “o inimigo” (vs. 25,28)

Este personagem é o diabo, o maligno (vs. 38,39)

2.3- “os servos” (v 27)

Estes personagens representam os anjos (v. 39c)


3.  A proibição do dono do mundo:

3.1- “O zelo dos servos”

 A inquietude dos servos (v. 28) mostra-nos um zelo pelo campo do seu Senhor, nos dando uma grande lição de como devemos nos portar perante o Senhor. Mas o zelo precisa ser com entendimento e obediência, veja que eles antes já tinham mostrado espanto e foram até o Senhor , saber o porquê daquilo (v.27) e de como agir corretamente (v. 30)

3.2. “O zelo do pai de família”

Uma das coisas mais intrigantes é porque o Senhor permite o mal no mundo,(recomendo o estudo postado neste blog A origem do mal) e chegue até mesmo em sua igreja, mais uma coisa é certa. O Senhor é tão zeloso não querendo que nenhum trigo se perca, que ele suporta o joio no meio deles preparado para o fogo eterno. (Mt.13.30; Rm. 9.22, 23; 2.4,5) 

II - Debates teológicos:

 Há duas expressões ditas por Jesus nesta parábola, que é motivo de muita divergência entre os teólogos,  é o que veremos à seguir:

     1º É dito pelos sabadista.

 Que baseado nesta parábola dizem que os ímpios é que serão arrebatados, não os justos. (v. 30)

  A colheita explicada por Jesus aqui, não é o arrebatamento da igreja, mas o juízo inevitável, o fim do mundo (v 39), que os ímpios terão no final da grande tribulação (Ap. 19.11-21), então virá o tempo da ceifa, o Senhor irá separar o justo do injusto e (Mt. 25.29-35; 31-46).

Os lançará nas trevas (Mt. 13:30d41,43,49) e depois os justos resplandecerão com sol no reino do seu pai “o milênio”. (v. 43; 25.31-34; Ap. 20.4)

   

2o  O sono do dono do  campo.

Sabemos que em uma parábola não devemos levar em conta, todo o cenário e sim as verdades que a narração quer nos passar. Mesmo assim iremos analisar.
 A palavra de Deus, o Senhor não cochila, muito menos dorme
(Sl. 121:3,4), como na Bíblia, não há contradição, o problema é de interpretação, mas se lermos com cuidado o texto, veremos que  o Senhor disse: “os homens” (no plural), que dormiram. E agora?
  será que eles para aumentarem ainda mais os seus erros, dirão que este termo está no plural referindo-se a Trindade.
     O  mais provável é que  “os homens”, sejam os responsáveis pelo reino na Terra, então veio o inimigo(o maligno) do dono do campo (Deus)  e  semeou o joio no meio do trigo, enquanto os homens dormiam (Pastores e lideres).

  
   CONCLUSÃO :    

 Esta parábola representa o estado presente e futuro da igreja e do evangelho, o cuidado de Cristo com ela, a inimizade do diabo contra ela e a sua mais perigosa investida, a mistura de bons com os maus que existem no meio do reino e a separação deles num futuro bem próximo.
 Que o Senhor nos preserve de tudo isso. Amem!!





Prof. Luiz Carlos S. soares.
        

Nenhum comentário:

Postar um comentário